covid-19
Reprodução
Um bilhão e meio de trabalhadores correm o risco de ver seus meios de subsistência destruídos


Metade dos trabalhadores do mundo corre o risco de ter seus meios de subsistência destruídos pela pandemia de coronavírus, alertou uma agência da Organização das Nações Unidas (ONU). A análise atualizada da Organização Internacional do Trabalho (OIT) enfatiza seu severo impacto sobre as pessoas no trabalho informal.

O documento diz que muitos já sofreram danos massivos em sua capacidade de ganhar a vida. Sem renda alternativa, esses trabalhadores e suas famílias não teriam como sobreviver .

A nova análise diz que a subsistência de 1,6 bilhão de pessoas está ameaçada pelo vírus, equivalente a quase metade da força de trabalho global. Prevê-se que o total de horas trabalhadas seja 10,5% menor do que antes do início da crise. Isso equivale a 305 milhões de empregos em período integral.

Mais de 60% da força de trabalho global está em países onde existem bloqueios recomendados ou necessários. Na verdade, isso está abaixo do valor anterior da OIT, devido à retomada de algumas das atividades que foram reduzidas na China.

Mas isso ainda significa que a capacidade de muitos trabalhadores de se sustentar é severamente reduzida. A ênfase do relatório nos informais e reflete o fato de que eles são especialmente vulneráveis . Há um alto nível de pobreza no grupo, eles têm pouca proteção legal e o trabalho geralmente é inseguro.

A OIT diz que, no primeiro mês da crise, estima-se que sua renda tenha caído 60% . Em algumas regiões, o impacto estimado é muito maior: 81% na África e nas Américas e 70% na Europa e Ásia Central. Foi menos severo na região da Ásia e do Pacífico, embora ainda substancial em mais de 20%.

'Quase sem respirar'

O relatório também diz que mais de 400 milhões de empresas correm grande risco de graves consequências. Elas estão presentes em grande número nos setores que foram especialmente expostos ao impacto da crise da saúde: comércio varejista e atacadista, manufatura, acomodações e serviços de alimentação.

A OIT pede medidas urgentes para apoiar trabalhadores e empresas, especialmente as menores. A agência cita a necessidade de políticas de emprego mais fortes e sistemas de proteção social com melhores recursos. Alémdisso, é preciso uma coordenação internacional de medidas de estímulo econômico e alívio das dívidas para uma recuperação sustentável .

"Para milhões de trabalhadores, renda não significa comida, segurança e futuro. Milhões de empresas em todo o mundo mal respiram. Elas não têm economia ou acesso ao crédito. Essas são as faces reais mundo do trabalho. Se não os ajudarmos agora, eles simplesmente perecerão ", afirmou o diretor geral da OIT, Guy Ryder.


    Veja Também

      Mostrar mais