eua
Reprodução
O presidente do Comitê de Relações Exteriores da Câmara disse que, se o material não for recebido até 4 de maio, "o Comitê considerará todas as outras medidas à sua disposição para obrigar sua produção



O presidente do Comitê de Relações Exteriores da Câmara dos Estados Unidos anunciou, nesta segunda-feira (27), que está abrindo uma investigação sobre a decisãodo governo Trump de reter fundos para a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Em uma carta ao secretário de Estado Mike Pompeo, o deputado Eliot Engel escreveu que a explicação do governo para suspender a contribuição dos EUA em meio a uma pandemia era " inadequada ". O democrata de Nova York disse que seu comitê "está determinado a entender as razões por trás dessa retirada autodestrutiva da liderança global".

Engel afirmou que o Departamento de Estado forneceu ao Congresso "uma ficha informativa de uma página que contém poucos fatos, nenhum plano e nenhuma explicação de como a suspensão de fundos para a OMS salvará vidas aqui ou no mundo" por justificativa para suspender os fundos.

Segundo ele, se o material não for recebido até 4 de maio, "o Comitê considerará todas as outras medidas à sua disposição para obrigar sua produção".

O presidente Donald Trump anunciou, em 14 de abril, que suspenderia o financiamento à OMS enquanto aguardava uma revisão, que, segundo ele, cobriria o "papel da agência em administrar gravemente mal e encobrir a disseminação do coronavírus".

Os EUA contribuem com aproximadamente US$ 500 milhões para a OMS anualmente, de acordo com autoridades do governo. Pompeo disse que a organização não cumpriu sua missão durante a pandemia mortal .

Tanto o presidente quanto o secretário de Estado acusaram a OMS de não ser suficientemente crítica em relação à China, com Trump chamando a organização de "centralizada na China".

Em sua carta, Engel reconheceu que a OMS "cometeu erros durante o curso dessa emergência sem precedentes", observando que ele "apoiaria reformas para fortalecer a organização".

"Mas, certamente, cortar o financiamento da OMS enquanto o mundo enfrenta a tragédia da Covid-19 não é a resposta", escreveu. "Profissionais de saúde diplomáticos, de desenvolvimento e globais alertaram que cortar o financiamento da OMS neste momento só prejudicará a resposta global e fornecerá outra oportunidade para a China exercer sua influência."

A revisão da administração da OMS deve durar de 60 a 90 dias. John Barsa, administrador em exercício da Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional, disse a repórteres na semana passada que "será abrangente, abordando todas as maneiras de questões de gerenciamento e operação".

Os funcionários do governo não ofereceram respostas claras sobre o que especificamente a Organização Mundial da Saúde deve fazer para recuperar seu financiamento. Nos bastidores, há esforços para reprogramar permanentemente os fundos e, na semana passada, disse Pompeo, "pode ​​ser o caso de os Estados Unidos nunca mais voltarem a subscrever os dólares dos contribuintes americanos que vão para a OMS".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários