O estudo encontrou uma influência genética substancial em sintomas como febre e delírio
Divulgação/Governo Chinês
O estudo encontrou uma influência genética substancial em sintomas como febre e delírio



Uma nova pesquisa King's College London, no Reino Unido, aponta que os sintomas da Covid-19 parecem estar parcialmente relacionados à estrutura genética humana . O resultado é baseado em dados coletados pelo aplicativo "Covid-19 Symptom Tracker", lançado pela equipe no mês passado.

Embora a população local esteja sendo incentivada a usar o aplicativo para monitorar como se sente no dia a dia, a equipe também pediu a milhares de gêmeos - que já faziam parte de outro projeto de pesquisa - para usarem o aplicativo e registrassem se tinham sintomas ou não.

Os cientistas utilizaram algoritmos de learning machine, juntamente com dados de 2,7 milhões de usuários de aplicativos - muitos dos quais foram testados para coronavírus - para calcular a combinação de sintomas que indicam que um indivíduo provavelmente tem Covid-19 .

A equipe então se concentrou nos dados de mais de 2.600 gêmeos para tentar determinar se os sintomas experimentados por aqueles que previam a doença estavam relacionados à composição genética.

 A equipe se concentrou nos dados de pouco mais de 2.600 gêmeos para tentar determinar se os sintomas experimentados por aqueles que previam a Covid-19 estavam relacionados à composição genética
shutterstock
A equipe se concentrou nos dados de pouco mais de 2.600 gêmeos para tentar determinar se os sintomas experimentados por aqueles que previam a Covid-19 estavam relacionados à composição genética


Você viu?


"A idéia era basicamente olhar para as semelhanças nos sintomas ou não sintomas entre os gêmeos idênticos, que compartilham 100% de seus genes, e os gêmeos não idênticos, que compartilham apenas metade de seus genes", disse o professor Tim Spector, um dos cientistas que lideram o empreendimento. "Se houver um fator genético na expressão dos sintomas, veremos uma maior semelhança entre os gêmeos idênticos do que os não idênticos e isso é o que mostramos".

O estudo, que ainda não foi revisado por pares, levou em consideração se os gêmeos estavam na mesma casa, com os resultados revelando que fatores genéticos explicam cerca de 50% das diferenças entre os sintomas das pessoas com Covid-19.

Mais especificamente, a equipe encontrou uma influência genética substancial para os sintomas de febre, diarréia, delírio, perda de paladar e olfato. Por outro lado, voz rouca, tosse, refeições puladas, dor no peito e dor abdominal não estavam ligadas à composição genética.

"Esta doença é muito estranha, do jeito que tem uma apresentação muito diferente na população em pessoas diferentes - o que estamos mostrando é que isso não é aleatório", disse Spector. “Não é principalmente devido a onde você mora ou a quem você viu; muito disso é algo inato sobre você."

Os pesquisadores esperam que as descobertas ajudem a determinar os mecanismos pelos quais a Covid-19 atua no corpo, além de oferecer uma maneira possível de prever aqueles com maior risco da doença.

"Compreender como os sintomas da [doença] Covid-19 passam pela população pode indicar os mecanismos patogênicos da infecção pelo [vírus] Sars-CoV-2, além de oferecer utilidade na alocação de escassos recursos de saúde, particularmente em leitos de terapia intensiva", escreveu a equipe.

Eles dizem que os resultados também podem ajudar pesquisadores de todo o mundo a identificar variantes genéticas que para explicar porque alguns indivíduos não apresentam sintomas, ou apenas aqueles leves da Covid-19 que, por sua vez, poderiam ajudar no desenvolvimento de medicamentos para a doença.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários