Nesta segunda-feira (27), o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, voltou ao trabalho após recuperar-se da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-coV-2).

Leia também: Sobrevivente da Segunda Guerra Mundial supera Covid-19 no Pará

Boris Johnson
Reprodução
Boris Johnson

Pressionado pela crise econômica e pelos partidos de oposição para reabrir a economia, Boris Johnson disse que ainda é cedo para reabrir o Reino Unido . "Peço que vocês contenham sua impaciência, porque acredito que estamos chegando ao final da primeira fase desse conflito [ Covid-19 ]".

Leia também: Brasil estaria achatando a curva de contágio da Covid-19, diz especialista

Com o aumento do desemprego e uma recessão iminente, Johnson disse que entende as preocupações e que consultará partidos da oposição. "Devemos reconhecer o risco de um segundo pico, o risco de perder o controle desse vírus e de sua taxa de reprodução, porque isso significaria não apenas uma nova onda de mortes e doenças, mas também um desastre econômico", disse o ele.

Leia também: Covid-19: Brasil tem 189 novas mortes; total vai para 4.205

Até esta segunda-feira (27), o Reino Unido registrou mais de 154 mil casos e quase 21 mil óbitos devido à Covid-19 . Países como Itália e Portugal também estudam reabertura. No início de abril a Espanha iniciou uma retomada econômica gradual.

    Veja Também

      Mostrar mais