Covid-19 arrow-options
Reprodução
Segundo o especialista em infectologia, Dr. Amesh Adalja, os testes de anticorpos dos nova-iorquinos são uma boa notícia em meio à crise

Um estudo preliminar feito com base nos dados obtidos de 3 mil nova-iorquinos descobriu que 13,9% da população testou positivo, segundo o governador Andrew Cuomo. A descoberta revela novas evidências de que o vírus teria circulado nos Estados Unidos antes dos números oficiais começarem a aparecer.

LEIA MAIS: Itália tem mais curados que casos de Covid-19 pela primeira vez

Os estados da Califórnia e Indiana também aferiram que a Covid-19 começou a matar nos Estados Unidos antes do rastreamento da doença por parte das autoridades. A Universidade de Northeastern também revela que o vírus já teria transmissão comunitária no país desde fevereiro.

Segundo o especialista em infectologia, Dr. Amesh Adalja, os testes de anticorpos dos nova-iorquinos são uma boa notícia em meio à crise, uma vez que mostram que a taxa de mortalidade do novo vírus pode ser ainda menor que 1%.

“Os dados mostram que o vírus está muito mais espalhado do que pensamos. Quando olhamos os modelos considerando hospitalizações e óbitos, a taxa de mortalidade acaba ficando superestimada por estar enviesada”, afirma Adalja. “A taxa de hospitalizações também pode ser menor, pois o denominador de pessoas infectadas é muito maior”.

Impactos positivos na reabertura

O Dr. Amesh Adalja continua: “Estamos desenvolvendo imunidade. Há pessoas que nem chegaram a ficar doentes, ou tiveram sintomas leves. Com isso, podemos começar a pensar na reabertura de certas regiões do país”.

Alguns estados americanos já consideram afrouxar as restrições de isolamento social, uma vez que o dano na economia pode aumentar a taxa de desemprego. Até o momento, o coronavírus já matou 47 mil americanos, atingindo 843 mil pacientes. 


    Veja Também

      Mostrar mais