trump arrow-options
Reprodução
O presidente dos EUA, Donald Trump, fala durante coletiva diária da força-tarefa sobre coronavírus na Casa Branca em Washington



O presidente dos EUA, Donald Trump, disse, nesta sexat-feira (17), que a China deve enfrentar consequências se for "conscientemente responsável" pela pandemia de coronavírus.

"Se foi um erro, um erro é um erro. Mas se eles foram conscientemente responsáveis, sim, quero dizer, com certeza deve haver consequências", disse Trump a repórteres em uma entrevista. Ele não detalhou quais ações os Estados Unidos poderiam tomar.

Trump e assessores criticaram fortemente a China por falta de transparência depois que o coronavírus eclodiu em sua província de Wuhan. Nesta semana, ele suspendeu a ajuda à Organização Mundial da Saúde (OMS), acusando-a de ser "centrada na China".

Washington e Pequim, as duas maiores economias do mundo, discutiram publicamente o vírus de forma repetitiva. Trump inicialmente elogiou a resposta da China ao surto, mas ele e outras autoridades também se referiram a ele como o "vírus chinês" e, nos últimos dias, aumentaram sua retórica.

Trump disse que a relação EUA-China era boa "até que eles fizessem isso", citando um recente acordo agrícola da primeira fase que visa reprimir uma guerra comercial entre os dois países.

Trump também levantou questões sobre um laboratório de virologia de Wuhan que a Fox News informou nesta semana provavelmente desenvolveu o coronavírus como parte do esforço da China para demonstrar sua capacidade de identificar e combater o vírus. Trump disse que seu governo está tentando determinar se o vírus emanou de um laboratório chinês.

Trump também lançou novamente dúvidas sobre o número de mortos na China, que foi revisado na sexta-feira (17). A China disse que 1.300 pessoas que morreram do coronavírus na cidade central de Wuhan - metade do total - não foram contadas, mas descartaram as alegações de acobertamento.


    Veja Também

      Mostrar mais