Especialistas dizem que o declínio é resultado do bloqueio nacional que a Itália impôs em 10 de março
Reprodução
Especialistas dizem que o declínio é resultado do bloqueio nacional que a Itália impôs em 10 de março



Duas semanas atrás, as unidades de terapia intensiva da Itália estavam repletas, com mais de 4 mil pacientes com coronavírus e, às vezes, os médicos ficavam na difícil posição de escolher quais pessoas tratar.

Na sexta-feira (17), o número de os pacientes nas UTIs caiu para 2.812 e as hospitalizações por Covid-19, a doença causada pelo vírus, diminuíram de 29.010 pacientes em 4 de abril para 25.786, refletindo um declínio constante que está aliviando o fardo para o sistema de saúde do país.

"Isso está permitindo aos que trabalham nas UTIs maior facilidade para lidar com todos os pacientes que precisam de terapia intensiva, não apenas os pacientes com Covid-19", disse Franco Locatelli, chefe do Conselho Superior de Saúde da Itália.

Especialistas dizem que a queda é resultado do bloqueio nacional imposto pela Itália em 10 de março, o que diminuiu drasticamente a taxa de disseminação do coronavírus.

"No início da epidemia, cada pessoa infectada estava espalhando o vírus para outras três pessoas. Graças ao bloqueio , agora está abaixo de um", disse Giovanni Rezza, diretor do Departamento de Doenças Infecciosas do Instituto Nacional de Saúde do país. "Isso, por sua vez, tem impacto nas hospitalizações e nas UTIs."

"Desde o isolamento, surgiram novos casos , principalmente dentro das famílias e em residências assistidas e casas de repouso", disse Rezza, acrescentando: "Essas são responsáveis ​​por muitas das mortes."

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários