corona
Reprodução
Os serviços de saúde e necrotério em todo o país estão sobrecarregados


Novos dados sugerem que o número de casos de coronavírus no Equador pode ser muito maior do que o indicado anteriormente. Isso acontece depois de  haver um grande salto nas mortes em uma província que é o centro do surto devastador no país.

Desde o início de março, seis semanas atrás, 10.939  já pessoas morreram na província de Guayas, que inclui a maior cidade do Equador, Guayaquil. No início desse período, o número era de 3 mil óbitos.

No país como um todo, o coronavírus foi confirmado como a causa de apenas 421 mortes e é suspeito em mais 675, mas a Ministra do Interior, María Paula Romo, disse que o número verdadeiro provavelmente é muito maior. "O número de mortes é totalmente fora do comum", disse ela ao jornal The Guardian.

O Equador tem sido um dos países mais afetados da América Latina, com serviços médicos e mortuários sobrecarregados, onde famílias enlutadas foram forçadas a viver ao lado de cadáveres de entes queridos ou a abandoná-los nas ruas.

"Queríamos ser abertos sobre as estatísticas de mortes para mostrar um panorama mais completo", disse Romo, acrescentando que as estatísticas completas explicariam "porque os serviços funerários e cemitérios simplesmente não conseguiram lidar com os últimos dias em Guayaquil e Guayas."

A crise na capital comercial do Equador se tornou um aviso para a América Latina, onde muitos países têm serviços de saúde fragilizados e alta taxa de desigualdade.

Na semana passada, as autoridades de Guayaquil começaram a distribuir milhares de caixões de papelão e criaram uma linha de apoio às famílias que precisam que cadáveres sejam removidos de suas casas.

Quase 70% dos casos de coronavírus do Equador estão concentrados na província de Guayas, que teve 5.777 do total nacional de 8.450 casos na sexta-feira (17).

As autoridades disseram que quase 30 mil testes de coronavírus foram administrados no país. Existem planos para aumentar a capacidade para 1.400 testes por dia.

No entanto, algumas autoridades regionais dizem que o número de mortos continuará aumentando. Andrés Guschmer, vereador de Guayaquil que lidera a luta contra o vírus na cidade, previu que o número de pessoas infectadas excederá os 35 mil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários