Papa Francisco violência contra mulheres isolamento arrow-options
Reprodução/ Twitter
Papa Francisco

O papa Francisco alertou nesta segunda-feira (13) que a violência contra mulheres pode aumentar por conta das medidas de isolamento contra a pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Leia também: Coronavírus no Brasil: acompanhe a situação no País em tempo real

Na missa, o líder da Igreja Católica ainda fez uma oração para as que estão em quarentena, além de citar as vítimas de violência contra mulheres .

"Hoje gostaria de recordá-los do que muitas mulheres fazem, inclusive neste momento de emergência de saúde, para cuidar de outros: médicas, enfermeiras, agentes das forças de segurança e agentes penitenciárias, funcionárias de lojas de produtos de primeira necessidade e muitas mães e irmãs que estão trancadas em casa com toda a família, com crianças, idosos e deficientes", disse o Papa .

Leia também: De gripezinha a "não é tudo isso": vezes em que Bolsonaro minimizou coronavírus

"Às vezes correm o risco de ser submetidas à violência por uma convivência da qual levam uma carga muito grande. Oramos por elas, que o Senhor lhes dê forças e que nossas comunidades possam apoiá-las ao lado de suas famílias", concluiu Francisco.

O secretário-geral da Organização Das Nações Unidas (ONU), Antonio Guterres, lançou um apelo global recentemente para falar sobre o "aumento terrível nos casos de violência doméstica" e pediu aos governos que tomem as medidas apropriadas.

Leia também: Profissionais de enfermagem são agredidos a caminho do trabalho em São Paulo

Em meio à pandemia do novo coronavírus, a Itália, por sua vez, destinou uma quantia de 30 milhões de euros para prevenir a violência contra mulheres . O governo também lançou uma campanha para encorajar as vítimas a ligar para um número e denunciar as agressões.

    Veja Também

      Mostrar mais