França faz fiscalização pesada nas ruas para evitar a circulação de pessoas
Divulgação/Polícia Nacional da França
França faz fiscalização pesada nas ruas para evitar a circulação de pessoas



Conforme o número de pessoas em todo o mundo infectadas pelo coronavírus se aproxima de  2 milhões , os países europeus estão se encontrando em vários estágios de seus próprios surtos e lutando para equilibrar os benefícios médicos de manter as restrições em vigor e os riscos decorrentes de suas economias estagnadas.

As medidas preventivas, em muitas nações, assumiram a forma de bloqueios. Enquanto alguns lugares tentam imitar as políticas daqueles que reduziram seus surtos e outros que introduzem seus próprios meios, não há caminho claro para os próximos passos.

A Itália, centro da pandemia no mês passado, está emergindo da agonia de seus piores dias, com especialistas dizendo que uma queda nas hospitalizações e mortes nas últimas semanas é uma tendência " confiável ". Um punhado de empresas reabrirá lá a partir da terça-feira (14), embora o bloqueio mais amplo do país permaneça até pelo menos 3 de maio.

Você viu?

A Espanha também começou a diminuir suas restrições, com alguns trabalhadores da construção civil e outros voltando ao trabalho nesta semana, após uma paralisação de duas semanas que atingiu quase todos os setores. O número de mortes aumentou um pouco no fim de semana, no entanto, e a decisão sobre se deve recuar para ajudar a economia a voltar a movimentar alimentará o debate sobre se o governo está correndo muito risco cedo demais .

O bloqueio da Grã-Bretanha, que deve expirar em alguns dias, continuará até que o governo decida sobre os parâmetros para formalmente prolongar as restrições. Espera-se que essa decisão venha no final da semana.

O número de mortos no país era superior a 11 mil nesta segunda-feira (13). E, enquanto as autoridades alertam que a nação ainda está a alguns dias de um pico de novos casos, o primeiro-ministro Boris Johnson foi liberado do hospital após ser tratado.

Já o presidente da França, Emmanuel Macron, anunciou uma extensão do bloqueio  em um discurso televisionado nesta segunda-feira (13), quando o país se aproxima de 100 mil casos no total e 15 mil mortes.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários