merkel arrow-options
Reprodução/Twitter
Chanceler Angela Merkel, da Alemanha, em coletiva sobre coronavírus em Berlim nesta quinta-feira (09)



A chanceler Angela Merkel usou a expressão " esperança cautelosa " para falar sobre a possibilidade de os alemães estarem impedindo a disseminação do coronavírus e a sobrecarrega do sistema de saúde, ao diminuírem a taxa de infecção. Mas a autoridade alemã  alertou que os números não eram motivo para abandonar as severas restrições de isolamento social. 

"Os últimos avanços nos dão motivos 'para uma esperança cautelosa'", disse Merkel. "Os números são uma indicação de que as medidas estão funcionando."

No entanto, com o fim de semana prolongado da Páscoa se aproximando e as temperaturas previstas para o verão, ela advertiu  a população a não ceder à tentação de sair e se reunir.

"Não podemos ser imprudentes, não podemos nos deixar levar por uma falsa sensação de segurança", afirmou ela em entrevista coletiva. "Sei disso por experiência própria: você tem um pouco de esperança, depois ganha mais, relaxa mais por dentro e fica um pouco imprudente."

A contagem diária de novas infecções na Alemanha caiu de 7 mil para uma média de 4 milna semana passada. Outros países atingidos pela Europa tiveram quedas comparáveis.

As autoridades alemãs creditaram o  baixo número de mortos em comparação com os países vizinhos ao planejamento antecipado, aos testes generalizados e a um sistema de saúde robusto. Na Alemanha, mais de 2 mil pessoas morreram por Covid-19, em comparação com  de 7 mil na Grã-Bretanha, 11 mil na França, 15 mil na Espanha e quase 18 mil na Itália, segundo dados.

A chanceler finalizou, afirmando que seu governo está trabalhando para adquirir mais máscaras e equipamentos de proteção do exterior, além de procurar formas de aumentar a produção doméstica, para atender às necessidades dentro e fora da Alemanha.

    Veja Também

      Mostrar mais