Hospital EPIDEMIA CULPOSA CORONAVÍRUS COVID-19 ITÁLIA
Google Maps
Hospital de Alzano Lombardo teve dia caótico em 23 de fevereiro e pode ter ajudado a disseminar o coronavírus na província de Bergamo

A Procuradoria de Bergamo, na Itália, abriu uma investigação contra o hospital da cidade de Alzano Lombardo na gestão dos primeiros casos registrados do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no local, informa a mídia italiana nesta quarta-feira (08).

Leia também: Coronavírus no Brasil: acompanhe a situação no País em tempo real

Segundo o jornal Corriere della Sera , a investigação quer analisar a possibilidade do crime de epidemia culposa, já que o local pode ter ajudado a disseminar a Covid-19 na cidade e, por consequência, na província de Bergamo - a segunda mais afetada na Itália pela pandemia.

Em particular, explica o jornal, está a gestão dos primeiros doentes que testaram positivo no local e as decisões do dia 23 de fevereiro, quando o pronto socorro do hospital foi fechado e reaberto sem passar, segundo denúncias, por uma sanitização. Esse foi o dia em que o exame de um idoso de 83 anos teve o resultado confirmado para a doença.

O caso de epidemia culposa em análise pela Procuradoria foi o do paciente Ernesto Ravelli, 84 anos, que foi internado no hospital da cidade sem seguir o protocolo da Covid-19. No dia 23 de fevereiro, foi transferido para o hospital Papa Giovanni XXIII e faleceu no local, tendo se tornado a primeira vítima de Bergamo a morrer do novo coronavírus. Desde segunda-feira (06), investigadores estão indo para o hospital para recolher documentos e verificar como foram feitos os procedimentos.

Leia também: De gripezinha a "não é tudo isso": vezes em que Bolsonaro minimizou coronavírus

O jornal Avvenire informa que dois operadores sanitários do local, que pediram para não serem identificados, denunciaram a falta de coordenação para gerir os casos iniciais, e que só após a chegada dos militares do Exército, os procedimentos começaram a ser feitos de maneira correta.

Em entrevista à ANSA , a procuradora da República na província de Bergamo, Maria Cristina Rota, informou que será formado um grupo "que se ocupará de toda a atividade de investigação que envolva a epidemia de Coronavírus na província". "Todas as denúncias, expostas como notícias de crime, serão confiadas a esse time", se limitou a dizer.

A província de Bergamo é a segunda mais afetada pela pandemia, com 9.868 casos confirmados. A Defesa Civil não detalha as mortes por províncias ou cidades, apenas informa os dados por regiões. A Lombardia, onde fica Bergamo, é a que mais contabilizou casos - com 52.325 contaminados - e mortes - com 9.484 falecimentos.

Leia também: Profissionais de enfermagem são agredidos a caminho do trabalho em São Paulo

Os números gerais da Itália chegam a 135.586 infectados e 17.172 vítimas.

    Veja Também

      Mostrar mais