Espanha
Reprodução
Documento foi divulgado entre autoridades de saúde da região da Catalunha

A Espanha é um dos países mais atingidos pela pandemia da Covid-19, renovando o recorde no número de mortes dia após dia. Para evitar um colapso ainda maior do sistema de saúde, algumas regiões começam a tomar tomar atitudes drásticas: na Catalunha, os serviços médicos foram aconselhados a "limitar o esforço terapêutico com pacientes com mais de 80 anos e priorizar os jovens".

Leia também: Covid-19: Espanha volta a bater recorde e soma 864 mortes em apenas um dia

Segundo informações da agência EFE, um documento interno do Sistema de Emergência Médico (SEM) da Catalunha , região que vive em constante conflito com a Espanha por sua independência, fez o aconselhamento e afirmou que a prioridade deve ser de quem "mais pode se beneficiar, em termos de anos de vida ou da máxima possibilidade de sobrevivência".

O texto recomenda que os idosos com mais de 80 anos não sejam entubados e que o tratamento seja realizado com uma máscara de oxigênio, acrescentando ainda que, se não houver melhora, a morfina pode ser ministrada para aliviar a sensação de falta de ar.

"Quando se observa que as medidas terapêuticas são fúteis, o paciente pode ser levado para casa, desde que o seu acompanhamento e os cuidados paliativos possam ser assegurados pela rede de cuidados primários. Caso contrário, recomenda-se que o paciente seja transferido para um centro de saúde, em vez de uma urgência hospitalar", indica o texto.

Ainda de acordo a publicação, tal decisão recebeu críticas do Observatório de Bioética da Universidade de Barcelona: "em relação à idade, o suporte respiratório máximo sob outras formas além de ventilação mecânica com intubação e oxigenoterapia de alto fluxo deve ser considerado para pacientes acima de 80 anos de idade com comorbidades".

Leia também: EUA: hospitais estão demitindo funcionários que denunciam condições de trabalho

Medida semelhante foi tomada recentemente na Itália, que também vive o pico da Covid-19 . Algumas regiões tiveram que escolher quais pacientes receberiam tratamentos e quais seriam "deixados de lado", com os critérios também se baseando na idade de cada vítima.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários