Mike Ryan, diretor executivo da OMS
Reprodução Globonews
Mike Ryan, diretor executivo da OMS, respondeu pergunta sobre Bolsonaro

Durante a coletiva de imprensa em Genebra nesta quarta-feira (1), líderes da Organização Mundial da Saúde foram perguntados sobre a conduta do presidente brasileiro Jair Bolsonaro. O presidente utilizou na terça-feira (31), a fala do diretor geral da OMS , Tedros Adhanom, de forma editada.

Adhanom tinha dito em pronunciamento que governos deveriam ajudar as populações mais pobres durante a pandemia de Covid-19 e que, sem isso, essas populações continuam precisando trabalhar para sustentar suas famílias. Bolsonaro reproduziu a fala do diretor geral da OMS sem citar a primeira parte, argumentando que a economia não poderia parar em tempos de pandemia.

Um jornalista brasileiro perguntou a Adhanom qual seria sua mensagem ao Brasil neste momento. Para evitar envolvimentos políticos, no entanto, quem respondeu à pergunta foi Michael Ryan, diretor executivo da OMS .

Leia:  Pronunciamento de Bolsonaro repercute entre opositores

"A mensagem que temos para todos os países é que precisamos de uma estratégia compreensiva para responder a essa doença. Precisamos, além do isolamento, de vigilância dos casos, intervenções na saúde pública, detecção de casos, testes, quarentena e fortalecer nossos sitemas de saúde", disse Ryan.

"É muito importante que todos os países levem isso a sério , se preparem, fortaleçam os sistemas de saúde , engajem e eduquem as comunidades", concluiu, afirmando que essas diretrizes servem para todos os países e não só o Brasil.

Veja: Questionado sobre Bolsonaro, Trump estuda banir voos ao Brasil


    Veja Também

      Mostrar mais