Após reduzir casos internos, China enfrenta agora problemas com quem chegou ao país
shutterstock
Após reduzir casos internos, China enfrenta agora problemas com quem chegou ao país

A China anunciou nesta quinta-feira (26) 67 novos casos de covid-19, todos oriundos do exterior, no momento em que o país está voltando à normalidade, após dois meses de paralisia, devido ao surto, que teve origem na província de Hubei.

Leia também: Em sessão virtual, Câmara aprova medidas para enfrentamento ao coronavírus

A Comissão de Saúde da China informou que, até a meia-noite, morreram mais seis pessoas no país devido à infeção pelo novo coronavírus, o que eleva o número de mortes para 3.287.

Quando a doença começou a atingir o resto do mundo, muitos chineses regressaram ao país, que passou a registrar centenas de casos procedentes do exterior.

Para impedir uma segunda onda de contágios , o governo chinês impôs uma quarentena rigorosa de 14 dias a quem entrar na China. Os voos internacionais com destino a Pequim estão sendo desviados para outras cidades, depois de um aumento contínuo de casos importados na capital chinesa.

O número de infectados confirmados na China continental, que exclui Macau e Hong Kong, desde o início da pandemia, é de 81.285, entre os quais 74.051 receberam alta, após terem superado a doença.

O número de infectados "ativos" é de 3.947, entre os quais 1.235 permanecem em estado grave.

Você viu?

Desde o início do surto, em dezembro passado, 695.305 pessoas em contato próximo com infectados estiveram sob vigilância médica, incluindo 14.714 ainda sob observação, de acordo com dados oficiais.

Leia também: Contra coronavírus, Mandetta recomenda chá, canja de galinha e oração

No dia 12 deste mês, o governo chinês declarou que o pico das transmissões terminou no país, embora tenha lançado medidas adicionais para evitar novos surtos, diante do aumento de casos "importados".

O novo coronavírus, responsável pela pandemia de covid-19, já infectou perto de 450 mil pessoas em todo o mundo, sendo que mais de 20 mil morreram.

Depois de surgir na China, o surto se espalhou por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar situação de pandemia.

O Continente europeu, com mais de 240 mil casos, é onde surge atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais mortes - 7.503 em 74.386 casos registrados até essa quarta-feira.

A Espanha é o segundo país com maior número de mortes, registrando 3.434 entre 47.610 casos de infecção.

Leia também: Mourão defende isolamento e diz que posição do governo "é uma só"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários