Helmut Oberlander
Reprodução/Twitter
Helmut Oberlander nega envolvimento nos crimes cometidos pelo esquadrão da morte.

O governo da Rússia pediu, nesta sexta-feira (14), informações sobre Helmut Oberlander, um nazista de 95 anos que fez parte do esquadrão da morte, que atuou no país europeu durante a Segunda Guerra Mundial, ao Canadá . O acusado recebeu a cidadania canadense em 1960 e a perdeu em 2019, quando a suprema corte resolveu puni-lo por seus crimes de guerra.

Leia também: Vídeo pornô faz candidato desistir de eleições na França

Oberlander nasceu na Ucrânia e se tornou cidadão alemão durante o período da guerra. O governo russo acredita que o homem fez parte de um grupo nazista que foi responsável por um massacre em um orfanato soviético em 1942. Ele também teria participado da implantação de câmaras de gás portáteis no sul da Rússia durante a Segunda Guerra .

Em sua defesa, Oberlander diz que foi forçado a integrar o esquadrão da morte aos 17 anos na função de tradutor. Ele também alega que nunca participou ativamente de nenhum massacre promovido pelo grupo. 

No período pós-guerra, diversos intérpretes e membros do esquadrão da morte nazista foram presos e condenados por seus crimes. Apesar disso, Oberlander conseguiu escapar para o Canadá, onde vive até hoje. 

    Veja Também

      Mostrar mais