Qassim al-Rimi foi morto em ataque ordenado por Donald Trump
Ministério do Interior do Iêmen
Qassim al-Rimi foi morto em ataque ordenado por Donald Trump


Os Estados Unidos mataram Qassim al-Rimi , líder da organização terrorista Al-Qaeda , durante uma operação realizada no Iêmen, na semana passada. A morte de al-Rimi foi anunciada pelo presidente Donald Trump na última quinta-feira (6).

O terrorista foi alvo de um bombardeio feito por drones, assim como na ação que matou o general iraniano Qassem Soleimani e intensificou a tensão com o Irã. Sem revelar maiores detalhes da operação, Trump também disse que outra liderança da Al-Qaeda foi assassinada, sem dizer o nome da vítima.

Leia também: Confrontos entre palestinos e israelenses aumentam no Oriente Médio

"Com Rimi, a Al-Qaeda cometeu violência imoral contra civis no Iêmen e procurou conduzir e inspirar vários ataques contra os Estados Unidos e nossas forças. Sua morte enfraque ainda mais Al-Qaeda e seu movimento global, e nos deixa mais perto de eliminar as ameaças que esses grupos oferecem à nossa segurança nacional”, disse o comunicado emitido por Trump.

Atuação

 Segundo o presidente norte-americano, al-Rimi tinha relações estreitas com Osama bin Laden e se alistou na Al-Qaeda em 1990. Em dezembro do ano passado, o grupo liderado por ele reivindicou a autoria do atentado a tiros a uma base militar na Flórida. Três pessoas foram mortas, dentro de uma sala de aula da base, por um piloto saudita que participava de um programa de treinamento no local.

Em 2006, al-Rimi esteve preso na Península Arábica, mas conseguiu escapar e participou de uma série de ataques a dutos de óleo e gás da região. Ele assumiu a condição de líder após a morte do então chefe Nasir al-Wuhayashi. Segundo o jornal britânico The Guardian, al-Rimi era cotado como sucessor do chefe de operações estratégicas da organização, Ayman al-Zawahiri.

    Veja Também

      Mostrar mais