Bigode arrow-options
Divulgação/Embaixada dos Estados Unidos
Segundo críticos, visual de Harry Harris lembra população de ditadores japoneses

Designado para o cargo de embaixador norte-americano na Coreia do Sul, o ex-militar Harry Harris vem enfrentando uma grande polêmica no país asiático por causa de um motivo bastante inusitado: o bigode que resolveu adotar em seu novo visual.

Leia também: Repórter pergunta sobre Fabio e Bolsonaro responde: "está falando da tua mãe?"

Segundo informações da CNN, o bigode de Harris tem sido alvo de muitas críticas do povo sul-coreano nas redes sociais, que afirma que o novo visual do embaixador remete a antigos ditadores japoneses e a uma época em que o país sofreu muito sob a ocupação do Japão.

Alguns dos líderes japoneses mais proeminentes, como Hideki Tojo - o primeiro ministro que foi julgado e executado por um tribunal de guerra - e o imperador Hirohito, tinham bigodes. Sob o regime, muitos coreanos foram brutalizados, assassinados e escravizados, e isto é algo ainda muito vívido na memória da população.

Nascido no Japão , filho de uma japonesa e um norte-americano, Harris é cidadão dos Estados Unidos e disse, em entrevista recente ao Korea Times, que a única vez em que sua ancestralidade foi relevante em uma discussão foi quando ele criticou o governo chinês por ações realizadas no Mar da China Meridional.

Leia também: Idosa tem braço cortado ao retirar gesso em hospital do Rio: "chorava de dor"

"Entendo que exista um histórico de animosidades entre os países, mas eu não sou um japonês na Coreia, sou um embaixador norte-americano", afirmou ele, em entrevista a jornalistas nesta quinta. "Colocar este tipo de carga sobre mim simplesmente por algo relacionado ao meu nascimento é um erro".

"Não deixei o meu bigode crescer por causa de minha ascendência japonesa, e sim para marcar uma nova fase de minha vida. Como não podia crescer mais ou ter mais cabelo, optei pelo bigode. Só queria marcar esse momento com uma mudança e assim o fiz", afirmou.

Questionado se iria mudar novamente o visual para evitar mais problemas, Harris disse que só fará isso se for convencido que tal atitude será benéfica para as relações entre EUA e Coreia do Sul .

Leia também: Homem usa arma de brinquedo para assaltar ônibus, é agredido e acaba em hospital

"Sou o que sou. Tudo o que posso dizer é que toda decisão que tomo é baseada no fato de que sou o embaixador dos EUA na Coreia do Sul, não do Japão", finalizou Harris.

    Veja Também

      Mostrar mais