Tamanho do texto

Tribunal de Palermo definiu que Rino Giacalone deve pagar indenização para toda a família de Mariano Agate, principal nome da máfia de mazara del Vallo

Jornalista arrow-options
Reprodução/Twitter
Jornalista Rino Giacalone

O Tribunal de Apelação de Palermo, na Itália, condenou nesta segunda-feira (13) um jornalista de Trapani por difamação agravada por ter chamado um mafioso de "pedaço de merda".

Leia também: Por 'medo de lei', juiz concede prisão domiciliar a advogado com pena de 99 anos

Rino Giacalone foi sentenciado a pagar uma multa de 600 euros, além de 500 euros a cada membro da família de Mariano Agate, chefe da máfia de mazara del Vallo e considerado um dos homens de Totò Riina.

Em abril de 2013, na data em que o líder mafioso faleceu, o jornalista italiano assinou um artigo para uma revista online, no qual ele adaptou a Agate uma expressão de Peppino Impastato: "A máfia é uma montanha de merda".

Os membros da família do criminoso processaram Giacalone, que chegou a ser absolvido em primeira instância em 2017. No entanto, após um apelo do promotor Franco Belvisi, o tribunal de Cassação anulou a sentença e ordenou um novo julgamento.

Segundo a justiça, a expressão usada pelo jornalista "acaba em violação insuperável do núcleo fundamental da dignidade que nosso sistema reconhece a qualquer ser humano, mesmo àquelas que pertencem a uma associação criminosa sangrenta e nefasta".

Leia também: Idosa abre portão para dar água a adolescentes, é roubada e agredida

Para o Tribunal, o fundamento constitucional do sistema criminal propõe a reeducação dos piores criminosos. A defesa de Giacalone, por sua vez, afirmou que recorrerá.