Tamanho do texto

Presidente americano Donald Trump ainda ressaltou que "alguém pode ter cometido um erro", sobre a queda do avião que deixou 176 mortos no Irã

Trump arrow-options
Divulgação/Official White House/Shealah Craighead
Trump participou de coletiva de imprensa nesta quinta (9)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quinta-feira (9) que "alguém pode ter cometido um erro" na queda do avião Boeing 737 da Ukraine International Airlines, que deixou 176 mortos em Teerã, no Irã, ontem (8). "Alguém pode ter cometido um erro", disse o republicano durante coletiva de imprensa na Casa Branca.

Leia também: Irã diz que bombardeios são início de uma série de ataques: "vingança mais dura"

Trumo ainda ressaltou que tem um "pressentimento terrível" sobre a tragédia, mas não deu mais explicações. Mais cedo, a revista Newsweek e a emissora CBS informaram que o avião, que caiu logo depois de decolar do Aeroporto Internacional de Teerã, pode ter sido abatido por acidente pela defesa aérea iraniana. A primeira publicação citou fontes oficiais do Pentágono e da inteligência dos Estados Unidos e do Iraque, cujas identidades não foram reveladas.

Segundo as fontes, a aeronave ucraniana foi atingida por um sistema construído no território russo, chamado Gauntlet, porque o programa antiaéreo do Irã estava ativo depois do ataque do país contra as bases dos Estados Unidos no Iraque em retaliação à morte do general Qassem Suleimani.

Leia também: Sistema antiaéreo do Irã derrubou avião ucraniano por engano, diz revista

A equipe ucraniana que está investigando o desastre reuniu-se com as autoridades da aviação civil iraniana em Teerã para analisar o caso. No entanto, os especialistas acreditam que a aeronave caiu após um problema técnico. O Irã, por sua vez, chegou a dizer que não entregaria as caixas-pretas da aeronave. Durante a coletiva, Trump ainda anunciou que já aprovou sanções mais duras contra o Irã .