Tamanho do texto

Sindicatos ameaçam continuar em greve geral na França mesmo que o governo dê sinais de que pretende alterar a proposta de reforma

Greve geral na França arrow-options
Reprodução/Twitter
Manifestações ocorrem há duas semanas na França

O presiente da França Emmanuel Macron disse nesta quarta-feira (18) que vai "melhorar" a proposta de reforma da Previdência após a greve geral no país completar duas semanas. Para tranquilizar, setores que serão afetados pela mudança, um porta-voz da presidência disse que o governo “não abandonará o projeto, mas está pronto para melhorá-lo, por meio de discussões com os sindicatos”.

Ainda de acordo com as autoridades, as mudanças podem ser apresentadas nos próximos dias e as negociações sobre as regras da aposentadoria estarão centradas em torno das propostas de idade miníma e garantias para setores de ferroviários e professores.

O governo também tenta tranquilizar os ânimos da população com  o objetivo de encerrar a greve no transporte que já dura duas semanas e atinge principalmente Paris.

Leia também: Premier francês diz 'não ser contra' sistema de cotas de imigração

Nesta quarta-feira, os principais representantes dos sindicatos se reuniram com o primeiro-ministro Edouard  Philippe e com o novo alto comissário de aposentadorias, Laurent Pietraszewski. O encontro foi realizado para encontrar uma saída para a crise ou ao menos tentar evitar a paralisia dos transportes antes do recesso de Natal.

Os organizadores da greve, no entanto, dizem que a intenção é continuar com as manifestações sem considerar o Natal e o Ano Novo.