Paraguayo Cubas
Reprodução Twitter
Paraguayo Cubas no Senado do Paraguai.

Paraguayo Cubas, senador paraguaio, teve seu mandato cassado nesta quinta-feira (28) após a divulgação de um vídeo, gravado na segunda (25), em que defende a morte de 100 mil brasileiros e ataca a polícia do Paraguai.

Leia também: Jair Bolsonaro é denunciado internacionalmente por “crimes contra humanidade”

No vídeo, o senador paraguaio se irrita ao ver um caminhão carregado de árvores que ele acredita que sejam brasileiras e começa a ofender brasileiros. "Bandidos brasileiros, bandidos! Invasores! Agora desflorestando o país. Tem que matar aqui ao menos 100 mil brasileiros bandidos”, afirma.

A gravação foi realizada na cidade paraguaia de Minga Porá , próxima à fronteira com o Brasil. A região é conhecida pela extração de madeira e muitas propriedades da cidade são de brasileiros que migraram há décadas para o país, os chamados de brasiguaios. Contudo, foi confirmado que as madeiras não possuíam relação direta com produtores brasileiros.

Leia também: "Brasil nunca passou tanta vergonha", diz Gleisi sobre denúncia contra Bolsonaro

Em outro vídeo gravado no mesmo local, o senador paraguaio agride verbal e fisicamente a polícia local, afirmando que essa estaria defendendo os brasileiros. Ele xinga policiais, chuta uma viatura, arremessa um vaso em uma delegacia e dá um tapa em um policial, que não reage.

O Ministério do Interior do Paraguai repudiou a ação e diversos senadores pediram desculpas aos brasileiros pela ação de Paraguayo Cubas . O Senado abriu processo de cassação para o mandato do parlamentar, que foi aprovado nesta quinta por 23 votos a favor, 1 contrário e 3 abstenções.

Leia também: "Tenho dificuldades seríssimas em muitas áreas", admite Bolsonaro

O senador paraguaio faz parte do Movimento Cruzada Nacional , partido com pequena representação que defende o combate à presença de estrangeiros no Paraguai. Neste ano, ele já havia sido suspenso após ter atirado um copo de água em outro senador.

    Veja Também

      Mostrar mais