mulher em saco de dormir
The Sun/Reprodução
Gladwell, de 70 anos, pediu para que o prefeito da sua cidade pedisse aos moradores para reduzir uso de Wi-Fi para melhorar sua condição de vida.

O avanço da tecnologia tem afetado diretamente a vida de Rosi Gladwell, de 70 anos. A mulher alega que é alérgica ao Wi-Fi e está pedindo para que a sua cidade natal, na Espanha, evite o uso da internet sem fio para facilitar sua condição de vida.

Para não manter contato com campos eletromagnéticos no dia a dia, Gladwell considerou viver dentro de uma manta de cobre.

Ela conta que começou a se sentir mal há seis anos e sentiu que podia ter ligação com o Wi-Fi e com telefones sem fio.

"Naquela época, as pessoas pensavam em você como sendo um estranho se você dissesse que sofria com sensibilidade ao eletromagnetismo. Mas acho que agora o caso é outro", disse ao The Sun.

Leia também: Mãe mata filha e outra mulher durante briga em aniversário

A atual preocupação de Rosi é o lançamento da rede 5G nos telefones celulares. "Eu estou com muito medo do futuro", contou ao Sun.

O estresse e a exaustão de muitas pessoas, na opinião de Gladwell, estão relacionados ao eletromagnetismo. "Os cientistas dizem que 4% das pessoas em todo o mundo sofrem o mesmo que eu", explica. 


Kit anti-eletromagnetismo

Para evitar qualquer tipo de contato com sistemas que possam transmitir eletromagnetismo, Gladwell se equipou com um detector de radiação.

Sempre que podia, a espanhola viajava com o marido para sua cidade natal, na Espanha, por meio de uma balsa, onde ficava enrolada por 30 horas consecutivas na manta protetora. 

Na tentativa de abolir o Wi-Fi da sua cidade, Gladwell fez campanha junto aos moradores da região. Para colaborar com a iniciativa, o prefeito instalou um cronômetro para limitar o tempo de emissões de campo eletromagnético na cidade.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários