Nathalia Grace
Reprodução
Pais adotivos afirmam que Nathalia Grace é, na verdade, uma mulher de 22 anos

Um casal norte-americano foi acusado de abandonar a filha adotiva de 6 anos após afirmar que ela seria uma sociopata que tentou matá-los e teria, na verdade, 22 anos. O caso aconteceu em 2013, mas ganhou repercussão nas últimas semanas, após os pais da menina serem presos por negligência.

Leia também: Terremoto de 6,5 graus de magnitude deixa 20 mortos e 100 feridos na Indonésia

Em entrevista ao Daily Mail , Kristine Bernett afirmou que ela e o marido, Michael, se mudaram para o Canadá e deixaram a filha , Nathalia Grace, sozinha em casa nos Estados Unidos. O casal afirma que a filha é, na verdade, uma mulher ucraniana de 22 anos e sofreria de nanismo.

A mãe conta que, após a adoção, o começou a perceber alguns fatos estranhos: Nathalia menstruava, tinha dentes de adulto e pelos pubianos. Além disso, tinha uma linguagem muito rebuscada para uma criança de apenas 6 anos. 

Ela também fazia ameaças aos pais, pulava do carro em movimento, manchava os espelhos da casa com sangue e já chegou a tentar jogar a mãe em uma cerca elétrica. “Ela fazia desenhos e escrevia que queria matar a sua família, enrolá-los em um cobertor e colocá-los no quintal. Eu a vi colocando água sanitária no meu café para me envenenar”, conta Kristine. 

Após as ameaças, o casal resolveu levar a filha para fazer exames em busca de algum distúrbio mental. Foi quando os médicos constataram que Nathalia, na verdade, tinha uma estrutura óssea de 14 anos e sofria de uma doença psicológica grave, diagnosticada apenas em adultos. 

Nathalia foi internada em 2013 e, durante este tempo, admitiu ter 22 anos. Os pais adotivos então pediram que a sua data de nascimento fosse alterada para que ela pudesse receber tratamento adequado para a idade. 

Leia também: Pescaria recorde! Trio captura gigantesco atum azul, avaliado em R$ 14 milhões

Os Bernett foram presos neste mês, acusados de negligência, mas pagaram a fiança e aguardam julgamento. Nathalia, por sua vez, desapareceu em 2013. Kristine diz não saber do paradeiro dela. “Ela sumiu e eu tinha medo de ela parar de tomar seus remédios e fazer mal à outras pessoas. A última vez que nos falamos por telefone ela disse que estava fazendo espaguete para sua nova família”, contou a mãe.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários