Nicolás Maduro
Reprodução/Twitter
Maduro fez concessões em pronunciamento na TV Estatal

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse nesta quarta-feira (18) que está disposto a retomar o processo de diálogo com a oposição liderada pelo autoproclamado presidente Juan Guaidó.

Leia também: Assembleia Geral da ONU é aberta em Nova York

Durante discurso transmitido na TV estatal, o  Maduro afirmou que também está disponível a "apoiar as iniciativas" que o governo da Noruega, responsável por intermediar as conversas, havia proposto. "Quando o governo norueguês quiser nos convidar para uma reunião para retomar os pontos de diálogo que temos com eles, estamos prontos para intervir, a qualquer momento, em qualquer lugar, sempre prontos para o diálogo, negociação e acordos", afirmou.

O chefe de Estado venezuelano ainda lembrou que Caracas recebeu na última segunda-feira (16) uma delegação norueguesa que teve contato com o governo e a oposição. "Vamos ver que iniciativa surge, o que posso garantir à Noruega é todo o apoio das forças revolucionárias às iniciativas que eles desejam fazer", acrescentou Maduro.

Leia também: Número de imigrantes no mundo chega a 272 milhões, aponta relatório da ONU

Apesar da abertura ao diálogo por parte do chavista, Guaidó , reconhecido por mais de 50 países, incluindo os Estados Unidos, como presidente interino, chegou a dizer recentemente que "o mecanismo de diálogo em Barbados estava esgotado". O líder da oposição denunciou que o regime abandonou o processo depois de sua delegação "apresentar propostas sobre a formação de um conselho governamental de transição, pluralista e equilibrado, integrado por todas as forças políticas do país, entre elas a Força Armada Nacional".

No entanto, o líder chavista, que tem acusado Guaidó de manter relações com paramilitares e traficantes de drogas colombianos, ressaltou que o presidente da Assembleia é o "líder da oposição imposto pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump", que "não respeitou nenhum dos compromissos assumidos" na ilha de Barbados.

O diálogo entre as delegações de ambas as forças políticas da Venezuela teve início em meados de maio, mas foi suspenso em agosto por Maduro após o bloqueio total imposto pelos Estados Unidos aos ativos venezuelanos no território norte-americano.

Leia também: Trump não deve participar de cúpula da ONU para falar sobre mudanças climáticas

Na última teça-feira (17), porém, o governo de Maduro e parte da oposição moderada anunciaram que chegaram a um acordo para a constituição de uma "mesa de diálogo nacional", a fim de encontrar uma solução para a crise política e consolidar a paz. Em seu discurso, o presidente da Venezuela elogiou o tratado assinado com outros quatro partidos minoritários da oposição.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários