Tamanho do texto

Suspeito confessou os crimes no momento da prisão; corpo de Antónia Pinho foi encontrando em uma casa na cidade de São João da Madeira, em Portugal

Freira arrow-options
Reprodução/CMTV
Freira Antónia Pinho foi estrangulada pelo suspeito antes de ser estuprada e morta

Uma freira de 61 anos foi encontrada morta em uma casa na cidade de São João da Madeira, em Portugal, no domingo (8). O corpo da vítima tinha sinais de asfixia e indícios de estupro. Nesta segunda (9), a Polícia Judiciária de Portugal prendeu um suspeito que confessou o crime. O homem de 44 anos é dependente químico e havia deixado a prisão há três meses. Ele já tinha sido preso por tráfico, sequestro e abuso sexual.

Leia também: Madrasta envenena e mata enteada de 11 anos para conseguir herança

Segundo a polícia, o homem convidou a freira , identificada como Antónia Pinho, para tomar um café na casa dele, como agradecimento por uma carona oferecidada pela religiosa até o local. Logo depois ele teria dito que queria manter relações sexuais com ela, o que foi negado. Após a recusa, o criminoso a estrangulou com um golpe mata-leão. A polícia acredita que a freira foi abusada após a asfixia. Uma autópsia ainda será realizada para confirmar a causa da morte.

"Tona", como era chamada, fazia parte da Congregação Servas de Maria Ministras dos Enfermos há pelo menos 40 anos, e era conhecida como "radical" por andar de moto pela cidade. A mulher havia dedicado sua vida ao amparo de doentes.

A freira havia sido capa do jornal local "O Regional" no último dia 5. Na entrevista, ela disse que tinha carteira de motorista há apenas quatro anos e brincou que só não entrava nos estabelecimentos de moto "porque não tinha permissão para isso".

Leia também: Grupo é preso após roubar e matar motorista de aplicativo em São Paulo