Tamanho do texto

Em evento realizado na cidade de Resende, presidente mostrou, novamente, preocupação com possibilidade da volta do kirchnerismo na Argentina

Bolsonaro falando no microfone arrow-options
Carolina Antunes/PR
Bolsonaro demitiu o secretário de Comunicação

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na manhã deste sábado (17), durante cerimônia de graduação de cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), em Resende, que não deixará o Brasil se aproximar de “políticas outras que não deram certo em nenhum lugar do mundo”, ao se referir a Argentina. 

Ao lado dos presidentes do Supremo Tribunal Federal ( STF ), ministro Dias Toffoli, do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, Bolsonaro pediu a Deus que o país vizinho "saiba através do seu povo, como não retroceder".

Leia também: "Vocês se merecem", diz Jean Wyllys para Janaína Paschoal e Bolsonaro 

No discurso de encerramento da solenidade, Bolsonaro também disse, em seu pronunciamento de nove minutos, que outros países tentam ganhar "guerra da informação" sobre a Amazônia :

“Temos compromisso com esse pedaço de terra mais rico e sagrado do mundo. Não é a toa que outros países cada vez tentam ganhar a guerra da informação para que nós perdemos a soberania desta área”, afirma Bolsonaro