Tamanho do texto

Segundo denúncia da fundação, animais são obrigado a andar quilômetros durante os dias em que é realizado o festival Perahera, na cidade de Kandy

Elefante magro arrow-options
Reprodução/Save Elephants
Imagens divulgadas pela ONG mostram estado lastimável em que o animal se encontra

Uma denúncia feita pela Fundação Save Elephant mostra que elefantes em péssimas condições de saúde são obrigados a caminhar por quilômetros durante dez noites na cidade de Kandy, no Sri Lanka, onde é realizado o festival Perahera. A organização revela que a magreza e fraqueza dos animais é escondida por fantasias luxuosas e coloridas e que eles sofrem com os fogos, o barulho e a fumaça nas ruas e são feridos por conta das máscaras que usam na festa.

Leia também: Participação de Flordelis na morte de pastor não é descartada, diz delegada

Lek Chailert, a fundadora da ornganização, divulgou as informações sobre a maneira como os animais são tratados na página oficial da instituição no Facebook. Para ilustrar a atual condição de saúde dos animais, ela compartilhou a foto da elefante Tikiri, de 70 anos, que tem o corpo fragilizado, com o ossos à mostra e alguns ferimentos na pele. Segundo Lek Chailert, os animais desfilam pela cidade para que os participantes se sintam "abençoados". Ao menos 60 elefantes participam do evento.

"Ninguém vê sua dificuldade de pisar enquanto suas pernas estão cortadas e algemadas enquanto caminha. Todos têm o direito de acreditar, desde que essa crença não perturbe ou prejudique o outro. Como podemos chamar isso de bênção ou algo santo, se fazemos outras vidas sofrerem?", escreveu Lek Chailert.

Um porta-voz do Templo Relíquia do Dente Sagrado, que organiza o festival , disse ao jornal britânico "Metro", que eles "sempre se preocupam com os animais" e que Tikiri foi atendida por um médico veterinário.

Leia também: Bolsonaro dá recado a Merkel: "Pega essa grana e refloreste a Alemanha, tá ok?"