Foto enviada pela defesa do egípcio Mohamed Ahmed Elsayed Ahmed Ibrahim
Arquivo pessoal
Foto enviada pela defesa do egípcio Mohamed Ahmed Elsayed Ahmed Ibrahim

Na lista de suspeitos de envolvimento com terrorismo e procurado pelo FBI para interrogatório, o egípcio Mohamed Ahmed Elsayed Ahmed Ibrahim vai prestar esclarecimentos à Polícia Federal ainda nesta semana. De acordo com seu advogado, Musslim Ronaldo Vaz de Oliveira, Ibrahim é um perseguido político em seu país e atua no ramo moveleiro em Guarulhos, onde vive e está casado com uma brasileira.

O advogado nega envolvimento do egípcio com terrorismo. Afirma que Ibrahim ingressou no Brasil em 2018, quando saiu fugido do Egito.

O defensor contou ainda que Ibrahim pertence a um grupo que apoiava o ex-presidente Mohamed Mursi, então da Irmandade Muçulmana, que foi deposto do poder em 2013.

Segundo Oliveira, a polícia militar foi à casa do egípcio na madrugada de ontem para fazer uma busca, mas nada encontrou. Ele sustenta que não existe nenhum mandado de prisão ou investigação contra o egípcio.

Contou ainda que nesta manhã o egípcio chegou a se apresentar para depor na PF , na Lapa, na região central da capital paulista. Segundo ele, porém, a polícia preferiu agendar outra data para a oitiva, já que ainda não estava a par da situação.

Em nota conjunta, os ministérios da Justiça e das Relações Exteriores confiram que o egípcio entrou no Brasil em 2018, quando obteve a autorização de residência e hoje tem "condição migratória regular", o que significa que o visto do estrangeiro é válido.

    Veja Também

      Mostrar mais