Tamanho do texto

Presidente celebrou acordo entre os países do Mercosul e a União Europeia e disse ter "plano de ação ambicioso" para quando assumir a liderança do bloco

Bolsonaro arrow-options
Divulgação
Bolsonaro e o presidente da Argentina, Mauricio Macri, durante a cúpula do Mercosul

O presidente Jair Bolsonaro comemorou mais uma vez, nesta quarta-feira (17), o acordo comercial firmado entre os países do Mercosul e a União Europeia  após cerca de duas décadas de discussões.

Em sua conta no Twitter, Bolsonaro exaltou o potencial de melhora da economia brasileira mediante os efeitos do acordo e disse ter um plano para "eliminar o viés ideológico" do Mercosul a partir do momento em que o Brasil assume a presidência rotativa do bloco. 

O presidente brasileiro, que está em viagem para a cúpula do bloco, na Argentina, afirmou acreditar que o acordo vai modernizar a economia do Brasil, estimular o crescimento e também gerar empregos. Ele ainda afirmou ter um "plano de ação ambicioso" para quando o País assumir a liderança do bloco.

"Neste semestre, assumiremos a presidência do Mercosul, com um plano de ação ambicioso: eliminar o viés ideológico do bloco, enxugar sua estrutura, revisar a Tarifa Externa Comum e acelerar as negociações comerciais com grandes economias de todo o mundo", escreveu. 



"Com a retomada do crescimento econômico e a liderança do nosso Brasil, o Século XXI tem tudo para ser o Século da América do Sul. Vamos mudar os rumos da nossa história!", completou Bolsonaro

Durante a cúpula, o presidente argentino Maurício Macri passará o posto de presidente pro tempore (cargo rotativo) do bloco ao presidente brasileiro. O cargo é exercido durante seis meses por um chefe de Estado de um dos países-membros.

Leia também: Em clima de renovação, Cúpula do Mercosul começa na Argentina

Segundo estimativas do Ministério da Economia, o acordo com a UE representará um incremento do Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país) brasileiro de US$ 87,5 bilhões em 15 anos.