Tamanho do texto

Liam Fox afirmou que "vazamentos mal-intencionados podem provocar danos" no relacionamento entre Reino Unido e Estados Unidos

Ministro do Comércio britânico%2C Liam Fox
Reprodução/Twitter
Ministro do Comércio britânico, Liam Fox, vai pedir desculpas a Ivanka Trump por textos vazados de embaixador

O ministro do Comércio do Reino Unido, Liam Fox, disse nesta segunda-feira (8) que pedirá desculpas a Ivanka Trump, filha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump , pelo
vazamento de mensagens confidenciais nas quais o embaixador britânico em Washington, Kim Darroch , descreve o governo dos EUA como "disfuncional" e "inepto".

Os memorandos do embaixador Kim Darroch foram vazados a um jornal neste domingo (7), aborrecendo Trump e provocando exigências do lado britânico para que se descubra quem os
revelou.

Liam Fox , que está visitando Washington, disse à rádio BBC que se desculpará a Ivanka, com quem deve se encontrar durante sua estada.

"Pedirei desculpas pelo fato de que ou nosso funcionalismo civil ou elementos de nossa classe política não se mostraram à altura das expectativas que nós ou os Estados Unidos
têm de seu comportamento, que neste caso em particular falhou de uma maneira extraordinária e inaceitável", disse.

"Vazamentos mal-intencionados desta natureza... podem provocar danos neste relacionamento, o que por sua vez pode afetar nosso interesse de segurança mais amplo", acrescentou Fox.

Leia também: Governo britânico diz que vazamento de mensagens "é motivo de pesar"

As revelações chegam em um momento no qual o Reino Unido espera fechar um grande acordo comercial com seu aliado mais próximo depois que deixar a União Europeia, uma separação marcada para 31 de outubro.

A repórteres, Trump deu sua opinião sobre Kim Darroch : "Não somos grandes fãs desse homem e ele não serve bem ao Reino Unido, então posso entender e posso dizer coisas a seu respeito, mas não me darei ao trabalho".

Em memorandos ao seu governo que datam de dezembro de 2017 até o presente, Darroch disse que relatos de disputas internas na Casa Branca são "na maioria verdadeiros", e no mês
passado descreveu a confusão causada pela decisão de Trump de cancelar um ataque militar ao Irã no governo.

"Não acreditamos realmente que este governo se tornará substancialmente mais normal; menos desequilibrado; menos imprevisível; menos dividido em facções; menos desajeitado e
inepto diplomaticamente", escreveu Darroch em um memorando.

Leia também: "Para Deus, ninguém é estrangeiro", afirma Papa em missa a migrantes

Ministros disseram que, na verdade, o Reino Unido considera a gestão Trump eficiente. "Deixei claro que não compartilho a avaliação do embaixador sobre o governo dos EUA nem sobre as relações com o governo dos EUA, mas defendo seu direito de fazer esta avaliação  franca", disse o secretário das Relações Exteriores britânico , Jeremy Hunt, aos repórteres.

    Leia tudo sobre: donald trump