Tamanho do texto

Passeata italiana reuniu 700 mil pessoas, segundo os organizadores, e foi marcada por protestos contra atitudes de Matteo Salvini e seu partido, a Liga

Parada LGBT em Roma
Reprodução/Twitter
Parada LGBT em Roma foi marcada por atos contra vice-premier e a extrema-direita

Centenas de milhares de pessoas participaram neste sábado (8) da "Roma Pride", a parada LGBT da capital italiana. Segundo os organizadores, a passeata reuniu 700 mil indivíduos, que concentraram suas críticas no ministro do Interior e vice-premier da Itália, Matteo Salvini , e em seu partido, a ultranacionalista Liga, de extrema-direita.

Leia também: Líder da extrema direita na Itália, Salvini é suspeito por desvio de recursos

"O ataque às famílias arco-íris acontece desde o início [do governo]", disse o presidente da associação Famílias Arco-Íris, Gianfranco Goretti. "Não queremos direitos, mas sim deveres, nosso filhos não têm reconhecimento, queremos ter nossas responsabilidades de pais", acrescentou um dos líderes da parada LGBT .

Goretti citou um decreto do ministro da Família Lorenzo Fontana, que recriou os termos "mãe" e "pai" nos documentos de identidade - até então eram usados "genitor 1" e "genitor 2". "Com certeza há uma vontade de nos apagar", declarou.

Leia também: Eduardo Bolsonaro encontra ministro italiano e se desculpa por asilo a Battisti

A parada LGBT foi marcado por coros de "ódio à Liga" e por faixas contra Salvini.