Tamanho do texto

O autoproclamado presidente interino não descarta uma intervenção dos EUA; Guaidó diz que não se sente derrotado após ações da última semana

Juan Guaidó discursa para um multidão
Reprodução/Twitter Juan Guaidó
Juan Guaidó convocou manifestações para derrubar Maduro do poder na Venezuela

O deputado venezuelano e autodeclarado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, avalia “todas as opções” para afastar o presidente Nicolás Maduro do poder. Em entrevista à BBC , ele não descarta um pedido de ajuda aos Estados Unidos para uma intervenção militar. As declarações foram feitas depois de uma tentativa de evitar uma rebelião militar no país.

Leia também: Rússia pede que EUA desistam de 'plano irresponsável' para derrubar Maduro 

Na entrevista, Guiadó afirma que, apesar do fracasso da recente tentativa de destituir Maduro do poder na Venezuela , a sua imagem não está enfraquecida e nem se sente derrotado. Diz que o "único que realmente se machuca é Maduro ”.

"Ele tem perdido todas as vezes. Está cada vez mais fraco, cada vez mais sozinho e não tem apoio internacional. Pelo contrário, nós ganhamos aceitação, apoio e opções futuras", acrescentou.

Leia também: Guaidó reconhece que oposição superestimou apoio de militares contra Maduro

Em janeiro deste ano, Juan Guaidó declarou-se presidente interino da Venezuela e, enquanto líder da Assembleia Nacional, invocou a Constituição para assumir a posição. Afirmou então, e mantém até hoje, que a reeleição de Nicolás Maduro foi ilegítima. Guaidó tem apoio de mais de 50 países, incluindo o Brasil, e da Organização dos Estados Americanos (OEA).