Tamanho do texto

Grupo de manifestantes "coletes amarelos" se reúnem em Paris, mas manifestações acontecem por todo o país nesta quarta-feira (01)

A França enfrenta nesta quarta-feira (01) mais uma série de protestos do movimento dos "coletes amarelos". Devido ao feriado mundial de 1 de maio, Dia do Trabalho , foram organizadas manifestações em várias partes do país por sindicatos, ecologistas e membros dos "gilets jaunes".

manifestantes e policiais na frança
Reprodução/Twitter
Polícia usa gás lacrimogêneo para dispersar manifestantes no Dia do Trabalho

Os " coletes amarelos " saem às ruas desde outubro de 2018 e há 24 sábados consecutivos para protestar contra o governo do presidente Emmanuel Macron e medidas sociais e econômicas. O Ministério do Interior da França calcula que haja 115 mil manifestantes nas ruas de todo o país (o sindicato diz 310 mil), sendo de 25 mil a 35 mil somente na capital, Paris.

A polícia deteve 330 pessoas durante os protestos O clima é de alta tensão em Paris devido à participação dos coletes amarelos , dos sindicatos e até de black blocs nos protestos. Em imagens divulgadas por participantes das manifestações, o policiamento é forte e bombas de gás lacrimogêneo foram usadas nos manifestantes.

Várias prefeituras, como a de Lyon, impediram manifestações no centro das cidades. Havia cerca de 6,2 mil manifestantes em Lyon, 2,4 mil em Montpellier, 7,7 mil em Bordeaux e 20 mil em Toulouse, conforme a polícia. Entre os slogans mais comuns, estavam “Sem justiça, sem paz”, “O povo odeia Macron”, ou “Obrigado pela Notre Dame, mas não se esqueça dos Miseráveis”.


*com informações da ANSA e Agência Brasil