Tamanho do texto

Área estava ocupada por rebeldes e foi retomada pelo governo sírio em julho; fechamento da fronteira estava prejudicando o comércio na região

O fechamento da fronteira entre a Jordânia e a Síria prejudicou o comércio, interrompendo uma rota fundamental para o transporte de mercadorias entre Turquia e Líbano e o Golfo Pérsico
Reprodução/Google Maps
O fechamento da fronteira entre a Jordânia e a Síria prejudicou o comércio, interrompendo uma rota fundamental para o transporte de mercadorias entre Turquia e Líbano e o Golfo Pérsico

A fronteira entre a Jordânia e a Síria reabrirá oficialmente na próxima segunda-feira (15) depois de ficar fechada por três anos. De imediato, segundo a chefe da câmara da indústria de Amã (Jordânia), Nael Husami, o tráfego de pessoas ainda não será permitido. O anúncio foi feito pelos dois países neste domingo (14) e as informações são da Agência Reuters .

Leia também: ONU exige "a verdade" sobre desaparecimento de jornalista saudita

Em julho passado, o governo sírio retomou a área ao redor do cruzamento da fronteira com a Jordânia , mais especificamente em Nassib, durante uma ofensiva que durou semanas. O ataque, apoiado pelos russos, tinha como objetivo remover os rebeldes de sua fortaleza no sudoeste da Síria.

O fechamento da fronteira em 2015 prejudicou um comércio que rendia bilhões de dólares por ano, interrompendo uma rota fundamental para o transporte de mercadorias entre Turquia e Líbano e o Golfo Pérsico, localizado entre a Arábia Saudita e o Irã. Até então, a única fronteira síria aberta era com o Líbano, que também não tem outras fronteiras em funcionamento.

A fronteira da Síria com a Turquia, porém, ainda permanecerá fechada em áreas mantidas pelo governo sírio e aberta apenas em territórios controlados pelos rebeldes. Paralelamente, perto da fronteira síria com o Iraque, o exército dos Estados Unidos fechou a principal estrada entre as capitais Damasco e Bagdá, embora haja uma pequena passagem mais ao leste aberta apenas para uso de autoridades.

Leia também: Número de vítimas do Furacão Michael nos Estados Unidos sobe e chega a 18

Segundo a rede de televisão estatal síria, o ministro do Interior do país, Mohammed al-Shaar, afirmou que a fronteira com a Jordânia e as estradas que levam a ela estão sendo reformadas. Além disso, com o presidente sírio Bashar al-Assad conquistando mais território, o tráfego interno foi retomado nas maiores cidades, facilitando o transporte de mercadorias e gerando crescimento econômico nas áreas controladas pelo governo.