Melania Trump, que tem relação fria com o presidente, veio em sua defesa no caso do editorial anônimo publicado no The New York Times
Divulgação
Melania Trump, que tem relação fria com o presidente, veio em sua defesa no caso do editorial anônimo publicado no The New York Times

Um alto funcionário da Casa Branca revelou que um grupo dentro da presidência dos Estados Unidos criou uma "resistência" contra algumas das políticas de Donald Trump. A informação foi publicada nesta quarta-feira (5) em um editorial anônimo no jornal " The New York Times ".

Leia também: Donald Trump critica campanha publicitária com Colin Kaepernick

De acordo com o editorial anônimo , membros da administração estão trabalhando para frustrar partes da agenda de Trump para proteger o país de suas "piores inclinações".

O autor ainda afirma que "a raiz do problema é a amoralidade do presidente. Qualquer um que trabalhe com ele sabe que não está atrelado a nenhum princípio discernível que guie sua decisão".

"É por isso que muitos nomeados por Trump prometeram fazer o que pudermos para preservar nossas instituições democráticas enquanto frustram os impulsos mais mal orientados de Trump até que ele esteja fora do escritório", acrescenta o texto.

O autor, no entanto, destaca que há pontos positivos na administração do magnata e acredita que diversas políticas dele "já tornaram a América mais segura e próspera".

"Mas acreditamos que nosso primeiro dever é com esse país, e o presidente continua a agir de maneira prejudicial à saúde de nossa república", ressalta.

Para o funcionário da Casa Branca, o problema maior de Trump é seu estilo de liderança, considerado "impetuoso, contraditório, mesquinho e ineficaz".

Você viu?

O republicano, por sua vez, classificou o escritor anônimo como "covarde" e o jornal como "falso”. "É realmente uma vergonha que uma carta aberta anônima escrita por um alto funcionário tenha sido publicada pelo New York Times", disse o republicano.

Leia também: Para LeBron James, Trump usa o esporte para dividir negros e brancos nos EUA

Em seu perfil no Twitter, o republicano também ironizou o caso e pediu que o NYT entregasse o responsável pelo artigo, em nome da "segurança nacional".

"Traição?", escreveu Trump. "Se esse funcionário de alto escalão existe, o NYT deve entregá-lo ou entregá-la imediatamente por questões de segurança nacional", completou.

Já a primeira-dama dos Estados Unidos, Melania Trump, chamou de "covarde" o autor do editorial publicado pelo jornal " The New York Times ". "Isso não protege nosso país", disse Melania em nota, chamando o artigo de "sabotagem". 

O editorial anônimo vem a público um dia depois de trechos do livro de Bob Woodward sobre a Casa Branca sugerirem que Trump e seus altos funcionários estiveram envolvidos em um "golpe de estado administrativo" para proteger o presidente, incluindo a remoção de documentos importantes de sua mesa. Woodward é um importante jornalista norte-americano que deu o “furo” do caso Watergate, que derrubou o presidente Richard Nixon nos anos 1970.

* Com informações da Ansa

Leia também: Trump recebe presidente da Fifa e dá cartão vermelho para a imprensa

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários