Mais de 700 crianças separadas dos pais permanecem em abrigos nos Estados Unidos
Reprodução/Facebook
Mais de 700 crianças separadas dos pais permanecem em abrigos nos Estados Unidos

O Itamaraty informou que todas as crianças separadas dos pais ao cruzarem a fronteira sul dos Estados Unidos foram entregues aos responsáveis. Até a última quinta-feira (26), a pasta havia informado que pelo menos dez menores brasileiros ainda estavam em abrigos.

Leia também: Dez crianças brasileiras ainda permanecem separadas dos pais em abrigos nos EUA

O prazo dado pela Justiça para que o governo norte-americano reunisse as crianças separadas dos pais havia expirado na quinta-feira. No entanto, centenas de famílias de imigrantes ilegais de vários países continuavam sem saber o destino dos menores na sexta-feira (27).

Mais de 1.800 crianças já voltaram ao convívio dos pais, de acordo com Washington, e 711 ainda permanecem sob resguardo do governo de Donald Trump.

Por determinação da Justiça americana, as 2.551 crianças deveriam estar juntas de suas famílias até dia 26 de julho. Mas o governo republicano, que considera elegíveis para reunião apenas 1.600 famílias, disse à Justiça ter entregue 1.442 menores aos responsáveis. Outros 378 foram soltos em “circunstâncias apropriadas”.

Leia também: Itamaraty informa que 19 crianças já foram reunidas com suas famílias nos EUA

Você viu?

Para organizações de apoio aos imigrantes e escritórios de advocacia, o governo está criando um emaranhado legal e burocrático que dificulta a reunião das famílias, criando um cenário no qual algumas crianças podem nunca mais voltarem a ver os pais.

ONGs pressionam o governo para traçar um plano de promover o reencontro dos responsáveis que foram deportados com os menores que permanecem nos abrigos, que equivalem a 431 das 711 crianças.

Em maio deste ano, o governo do presidente Donald Trump adotou a chamada 'política de tolerância zero' com os que tentam atravessar ilegalmente a fronteira dos Estados Unidos. Enquanto os adultos são presos, as crianças, por determinação do mandatário republicano, são enviadas a abrigos.

A medida estabelece que todo adulto pego atravessando a fronteira ilegalmente deve ser criminalmente processado. Caso seja capturada, a pessoa será encaminhada a um centro federal de detenção de imigrantes até que se apresente a um juíz.

Apesar de não mencionar a separação de crianças, essa é uma consequência inevitável, já que os menores não podem ser mantidos nos centros de detenção.

Leia também: Campanha para reeleição de Trump já arrecadou mais de R$ 340 milhões nos EUA

O Palácio do Itamaraty informou que, desde a adoção da política de tolerância zero, que já deixou mais de 2 mil crianças separadas dos pais , tem feito chegar ao governo norte-americano “seu firme desagrado com uma prática, que considera cruel e em franca violação de instrumentos internacionais de proteção aos direitos das crianças”.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários