Tamanho do texto

Empresa responsável pela criação da bebida pretende aproveitar a legalização da maconha no país canadense para comercializar o produto

Entre os ingredientes da cerveja de maconha estão talos, caules e raízes da cannabis; processo retira todo o álcool
Creative Commons/Public Domain Pictures
Entre os ingredientes da cerveja de maconha estão talos, caules e raízes da cannabis; processo retira todo o álcool

Cerveja sem álcool, mas capaz de alterar o estado de consciência do consumidor. É isso que cientistas em um pequeno laboratório em Ontário, no Canadá, estão criando. Sem glúten, o novo tipo de cerveja utiliza o tetraidrocanabinol, o conhecido THC da maconha. As técnicas de fermentação da cerveja de maconha são as mesmas das cervejas tradicionais, mas entre os ingredientes estão talos, caules e raízes da cannabis.

Dooma Wendschuh, fundador da start-up Province Brands, explica que já existe cerveja de maconha no mercado, mas elas utilizam apenas a infusão de óleos. Ele pretende criar a primeira cerveja produzida a partir da maconha. Com a legalização da droga no Canadá , Wendschuh que é natural de Miami, nos EUA, se mudou para Toronto em 2016.

 Da mesma forma que aconteceu em Colorado, analistas esperam um aumento nos negócios de produtos relacionados com a planta, principalmente alimentos. Wendschuh quer conquistar uma fatia desse mercado com uma alternativa à cerveja.

Segundo uma entrevista de Wendschuh ao jornal britânico The Guardian , a ideia surgiu de uma pergunta. “Podemos criar algo que possa exercer o papel que o álcool exerce na nossa sociedade usando esta mudança monumental que está acontecendo em nosso mundo agora?” contou.

No início, as primeiras experiências fizeram a empresa duvidar se seria possível criar uma cerveja sem álcool a partir da maconha. “As bebidas que estavam saindo tinham gosto horrível. Tinham gosto de brócolis podre”, disse Wendschuh.

Com a ajuda de um químico, eles conseguiram balancear as quantidades de lúpulo, leveduras, água e maconha. Todo álcool produzido durante a fermentação é removido. O objetivo é criar uma cerveja que, quando consumida, seja equivalente a uma dose de álcool. Até agora, a start-up conseguiu concentração de 6,5 miligramas de THC.

“O sabor é seco, menos doce que uma cerveja típica. A cerveja bate muito rápido, o que não é comum para alimentos de maconha”, avaliou o empreendedor.

A empresa planeja investir 50 milhões de dólares canadenses na construção da primeira cervejaria de maconha do mundo. Como ela é produzida a partir de talos, caules e raízes da cannabis, oferece uma alternativa comercial para os rejeitos da indústria atual, que aproveitam as folhas e flores.

Leia também: Jesus Cristo usou óleo de maconha para operar 'milagres', sugere historiador

Wendschuh acredita que seu produto será mais seguro e saudável que o álcool, mas alerta para os riscos do consumo indiscriminado da maconha. “A maconha não faz bem e nossas cervejas não farão bem para você. Não se deve bebê-las cinco vezes por dia, nem tê-la como a primeira bebida da manhã”, recomendou.

Cerveja de maconha e a legalização da droga

Cerveja de maconha: comidas que incluem maconha em sua receita não estarão disponíveis imediatamente
Maj. Will Cox/Georgia Army National Guard
Cerveja de maconha: comidas que incluem maconha em sua receita não estarão disponíveis imediatamente

Em junho, o Canadá aprovou o projeto de lei que legaliza o uso recreativo da maconha em nível nacional. A descriminalização da cannabis, nome científico da maconha, passou no senado canadense com 52 votos a favor contra 29 votos contrários.

Assim, o país se torna o segundo do mundo a legalizar a maconha – antes, o Uruguai já havia aprovado projeto parecido. Os canadenses poderão, enfim, comprar e consumir legalmente a maconha a partir de setembro. Entre os países do G20, grupo das nações mais ricas do mundo, o Canadá é o primeiro a adotar tal medida.

O projeto determina que a maconha será comercializada na internet por produtores federais licenciados. Usuários da planta poderão cultivar até quatro mudas da em casa, e adultos poderão portar até 30 gramas de cannabis em público.

Leia também: Massacramos jovens, diz Jungmann ao apoiar distinção entre usuário e traficante

Já as comidas que incluem maconha em sua receita não estarão disponíveis imediatamente, pois o governo precisará de tempo para estabelecer regulações específicas para esses produtos, como é o caso da cerveja de maconha .