Tamanho do texto

Carrie Songer Kelly foi descoberta pela polícia após gravar dois vídeos em que aparece forçando a menina a ter relações sexuais com ela no Texas, EUA

Mãe Carrie Kelly foi presa no início deste mês após abusar sexualmente e obrigar filha de oito anos a se prostituir
Reprodução/Gregg County SheriffÕs Office
Mãe Carrie Kelly foi presa no início deste mês após abusar sexualmente e obrigar filha de oito anos a se prostituir

Uma mãe foi acusada de abusar sexualmente da filha de oito anos e de tentar oferecer sexo com a criança em um site de prostituição por menos de US$ 100, o equivalente a R$ 300. Carrie Songer Kelly, mais conhecida como ‘Sue’, foi descoberta após gravar dois vídeos em que aparece forçando a menina a ter relações sexuais com ela em uma casa localizada no Texas, Estados Unidos.

Leia também: Indiana mata marido e mais 4 pessoas com comida envenenada por sofrer racismo

O caso aconteceu em dezembro do ano passado e foi retomado pela imprensa local depois de a mulher ser detida neste mês de junho, em Dallas. Durante as investigações policiais foi revelado que a mãe cadastrou a menor de idade em aplicativos de relacionamento populares e em uma plataforma online de prostituição, passando a cobrar R$ 300 por encontro.

Mãe foi detida recentemente e julgamento ainda ocorre nos EUA

Segundo os oficiais, conversas flagradas nos aplicativos denunciaram que um homem de 44 anos e outro indivíduo do Nebraska ofereceram dinheiro para fazer sexo com Kelly e sua filha no final do ano passado.

Leia também: Campanha para unir crianças de pais imigrantes nos EUA arrecada U$ 19,5 milhões

Informações do Mirror apontaram que a acusada utilizava o cadastro ‘CKelly74’ para agendar encontros da menor de idade com homens mais velhos e para ter controle de quanto dinheiro a criança recebia por programa.

As autoridades de Longview explicaram que o crime cometido pela mulher foi identificado após receberem uma denúncia de um rapaz que utilizou o aplicativo e viu a fotografia da menina. Eles ainda expuseram que Kelly admitiu abusar de outras crianças no passado e de possuir pornografia infantil na residência onde vivia com a filha.

De acordo com o Longview News Journal , a suspeita não apareceu ao tribunal no dia 28 de dezembro de 2017, e foi pega 'em flagrante' usando os aplicativos de relacionamento em nome da filha por um policial que estava disfarçado de "cliente".

Leia também: Mulher mata amante, desmembra corpo e serve carne em churrasco para os vizinhos

Em 4 de janeiro, o oficial e um investigador dos Serviços de Proteção à Criança (CPS) rastrearam a mãe na escola da vítima e, em junho, após não cumprir o mandado de prisão, a polícia a localizou em Dallas e a transferiu para uma delegacia. Carrie Songer Kelly encontra-se detida em uma prisão do condado de Gregg sob fiança de R$ 400 mil. O julgamento continua.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.