Tamanho do texto

Investigação policial apontou que devido à temperatura elevada do dia, Nong Yaem sofreu quadro de asfixia e morreu após oito horas dentro do veículo

Nong estava indo para a escola quando foi esquecida pela professora no veículo deixado no estacionamento do colégio
Reprodução/Mirror
Nong estava indo para a escola quando foi esquecida pela professora no veículo deixado no estacionamento do colégio

Uma menina de cinco anos morreu asfixiada após ficar trancada durante oito horas dentro de uma caminhonete no nordeste da Tailândia. Segundo o Mirror, Nong Yaem estava indo para a escola quando foi esquecida pela professora dentro do veículo após estacionarem no estacionamento da escola. 

Leia também: Britânica morre de hipotermia após ficar presa em armário de ventilação de hotel

Ainda de acordo com o jornal, a perua escolar que fazia o transporte das crianças quebrou e, para que os alunos não tivessem problemas em comparecer a aula, a professora Wijitra Soodkana, de 32 anos, se ofereceu para buscar as crianças em suas respectivas casas.

Entretanto, na hora de esvaziar a caminhonete, a docente acabou se esquecendo de Nong, que estava no banco da frente, distante dos demais alunos.

Investigações policiais apontaram que devido à temperatura elevada do dia e possivelmente as dificuldades em abrir as janelas, a garota sofreu um quadro de asfixia, sendo encontrada morta no distrito de Phupha Man, depois de oito horas.

Leia também: Oito crianças brasileiras estão separadas dos pais presos pela imigração nos EUA

Investigação continua e professora foi liberada

Assim que a criança foi achada caída dentro do veículo, os funcionários do jardim de infância Ban Cham Phuthong acionaram as autoridades e os paramédicos. A mãe da vítima, Kalaya Noikaew, de 31 anos, afirmou ter sido avisada sobre o incidente pelo diretor da instituição de ensino horas depois do acidente.

“Eles se esqueceram da minha filha e causaram a morte dela. Isso não é perdoável. Choro toda vez que penso o quanto ela deve ter sofrido. Minha família vai lutar por justiça”, garantiu.

O xerife da delegacia de Phupha Man, Phayung Lekdee, alegou que normalmente as crianças eram levadas até a escola em um micro-ônibus. Porém, o veículo quebrou e as crianças foram transportadas na caminhonete da professora.

Leia também: Marido mata esposa e sogro na frente do filho recém-nascido em hospital

O tenente e inspetor-geral da polícia de Phupha Man, Col Somkuan Chaihong, afirmou que a professora Wijitra Soodkana foi acusada de negligência, mas foi liberada sob fiança. “Ela estava muito abalada com o ocorrido e admitiu ter se esquecido de verificar se haviam outras crianças na caminhonete. Prestamos assistência psicológica a ela também", concluiu. Autoridades educacionais estão investigando o caso a fim de criar um relatório de instrução para professores, evitando, assim, que casos semelhantes ocorram novamente. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.