Tamanho do texto

Duas policiais, um estudante e o próprio atirador morreram na terça-feira; indicio é de que o atentado se trata de um caso de "lobo solitário" do grupo

o grupo terrorista diz que o atirador Benjamin Herman era
Reprodução/RTE
o grupo terrorista diz que o atirador Benjamin Herman era "soldado do Estado Islâmico" e "respondeu aos apelos do grupo"

O grupo terrorista Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque da última terça-feira (29) que deixou duas policiais e um estudante mortos, além do próprio atirador , em Liège, na Bélgica.

Por meio da agência de propaganda, a "Amaq", o grupo terrorista diz que o atirador Benjamin Herman era "soldado do Estado Islâmico " e "respondeu aos apelos do grupo para atacar nações da coalizão" - a Bélgica integra a aliança internacional criada para combater o grupo.

A reivindicação foi divulgada pelo portal de contraterrorismo "Site" e indica que a milícia não coordenou o ato, mas sim que tenha se tratado de um caso de "lobo solitário".

Atirador usou armas da polícia

O ataque de terça-feira (29) acabou com três dos mortos por um atirador, que acabou sendo executados pelas forças policiais locais. O tiroteio ocorreu por volta das 10h30 locais (às 5h30 no horário de Brasília), no centro da cidade belga, próximo de uma cafeteria. De acordo com as agências internacionais, o atirador foi identificado como Benjamin Herman.

Segundo informações divulgadas pelo portal RTE, o autor do ataque chegou a usar armas de policiais em sua ação. "Armado com uma faca, o suspeito seguiu e atacou dois policiais. Ele usou suas próprias armas de fogo para matá-los", teria dito o promotor Philippe Dulieu, em entrevista coletiva. 

Leia também: Britânico atira e esfaqueia filho após discutirem sobre quem pagaria por pizza

Além dos dois policiais, um pedestre morreu na ação. O autor dos disparos foi assassinado pelas autoridades, que reagiram ao tiroteio. 

De acordo com os jornais Libre Belgique e La Dernière Heure, o atirador  teria gritado "Allah Akbar" ("Deus é grande"), frase usada por terroristas extremistas islâmicos. Já a RTBF, por sua vez, disse que Benjamin Herman é um ex-presidiário, solto há pouco tempo.

Ele teria cumprido pena por crimes comuns e era conhecido entre seus colegas na prisão por adotar comportamento marginal. No entanto, as autoridades devem investigar se ele se radicalizou nos centros de detenção.

Alerta antiterrorismo na Bélgica

Liège é uma das maiores cidades da Bélgica. Em 2011, ela foi palco de um tiroteio em massa, quando um atirador matou quatro pessoas e feriu mais de 100 pessoas antes de cometer suicídio. A Bélgica está em alerta máximo antiterrorismo desde 2016.

Leia também: Trump confirma visita de autoridade da Coreia do Norte para discutir cúpula

O Estado Islâmico vem sofrendo seguidas derrotas no Oriente Médio e não controla mais territórios na Síria e no Iraque, porém sua ideologia extremista continua se disseminando entre jovens marginalizados de países ocidentais.

* Com informações da Agência Brasil

    Leia tudo sobre: Estado Islâmico
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.