Tamanho do texto

Caso foi registrado na manhã desta sexta-feira, na escola de ensino médio Forest High School, em Ocala; aluno foi baleado na perna e foi hospitalizado

Estudante participa de marcha contra a violência armada em escolas após tiroteio em Parkland, no início do ano
Reprodução/CNN
Estudante participa de marcha contra a violência armada em escolas após tiroteio em Parkland, no início do ano

Um estudante do ensino médio ficou ferido, na manhã desta sexta-feira (20), depois que um disparo foi registrado na escola Forest High School, em Ocala, no estado da Flórida, nos Estados Unidos . Ele foi o único ferido no tiroteio. 

Leia também: Tiroteio em escola de Kentucky, nos EUA, deixa ao menos dois mortos e 19 feridos

Segundo informações das agências internacionais, o tiro acertou o tornozelo da vítima, que foi imediamente hospitalizada, após os serviços de emergência serem acionados. Após o tiroteio , a escola foi isolada pela polícia.

O caso acontece exatamente 19 anos após o chamado Massacre de Columbine, quando 13 pessoas foram mortas por dois jovens numa escola, no Colorado. Esse massacre marcou a história dos Estados Unidos. 

O incidente acontece também mais de dois meses depois do massacre na Marjory Stoneman Douglas High School, em Parkland, na Flórida, quando 17 estudantes e professores foram mortos pelo aluno Nikolas Cruz . Esse foi o segundo maior ataque em escolas já registrado em toda a história dos Estados Unidos.

Manifestação contra a violência armada

Ainda nesta sexta, milhares de estudantes participarão de marchas pelas ruas dos Estados Unidos, como um ato devido ao 19º aniversário do Massacre de Columbine . A intenção do ato, é pressionar o governo dos Estados Unidos por maiores restrições à venda de armas.

De acordo com as informações passadas pelos organizadores à imprensa local, estudantes de mais de 2,6 mil escolas e instituições devem parar as aulas e deixar as suas escolas em apoio ao ato. 

"Podemos acabar com o banho de sangue diário em nosso país e podemos fazer história", escreveu um dos organizadores da manifestação, Max Cumming, em uma carta aberta, convidando os alunos.

"Podemos unir e declarar em voz alta que a era de indiferença nacional para o aumento da taxa de mortos terminou. Nós podemos mudar os Estados Unidos para sempre, antes de todos nós termos 20 anos", continuou.

Leia também: Atirador matou seus pais em Universidade de Michigan, diz autoridades

A manifestação convida as pessoas a usarem alguma peça de roupa ou símbolo laranja, que simboliza o movimento contra a violência armada e episódios de tiroteio em escolas.