undefined
Wikimedia Commons
Kim Jong-un teria visitado a China com objetivos diplomáticos, especialistas na Coreia do Norte explicaram


O presidente da Coreia do Norte Kim Jong-un pode ter feito uma visita "surpresa" a Pequim, segundo informam meios de comunicação da Ásia. De acordo com a emissora CNN , a viagem teria acontecido nesta segunda-feira (26), e os rumores começaram quando um trem, que aparentemente pertence à família do líder, foi fotografado chegando à capital da China.

Leia também: Putin diz que "negligência criminosa" causou incêndio com 64 mortos na Sibéria

Uma autoridade especialista na Coreia do Norte disse ao canal que existe uma “grande possibilidade” de Kim Jong-un realmente ter viajado para a China, o que, se confirmada, seria a primeira vez que o presidente saiu de seu país desde 2011, quando assumiu o poder após a morte de seu pai.

Analistas acreditam que a viagem teria como objetivo estreitar o relacionamento de Pyongyang com a China, seu tradicional aliado. A situação teria acontecido após momentos de muita diplomacia da Coreia do Norte durante sua participação nas Olimpíadas de Inverno, que aconteceram em fevereiro em território sul-coreano.

Com a recente abertura diplomática do país, foi anunciado que Kim e o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, se encontrarão em abril. O que acontece depois da surpreendente divulgação de que Donald Trump , presidente dos Estados Unidos, aceitou fazer uma reunião com o líder norte-coreano.

Leia também: Ex-presidente da Catalunha é detido pela polícia da Alemanha

Laços entre Coreia do Norte e China

Todas estas questões levaram os especialistas a apontar que, apesar dos rumores, existe uma grande possibilidade de Kim realmente ter feito uma rápida “visita surpresa” aos chineses. Principalmente porque, na atual conjuntura política, o líder precisaria do apoio do país caso o encontro com Trump não aconteça como o esperado, explicou o especialista Tong Zhao.

“A Coreia do Norte quer ter algumas garantias para a reunião com o presidente Trump. Ela é muito importante, mas também é muito arriscada”, disse Zhao, do Centro para Políticas Globais Carnegie-Tsinghua, para a CNN . “Se a reunião der errado, os Estados Unidos podem declarar que a diplomacia falhou e optar por uma abordagem mais coerciva ou até mesmo ações militares”, completou.

Respostas oficiais sobre a suposta viagem

Quando questionada sobre a suposta visita de Kim, a secretária do Ministério do Exterior da China, Hua Chunying, disse que “não fazia ideia” da presença do líder norte-coreano. O governo da Coreia do Sul explicou não poder confirmar a viagem, porém, caso os rumores se confirmem, este poderia ser um “sinal positivo” de que os países estão melhorando seu relacionamento.

Leia também: Donald Trump condena atentado na França que deixou quatro pessoas mortas

Os Estados Unidos também foram procurados, e o porta-voz da Casa Branca Raj Shah falou que não pode confirmar as informações sobre Kim Jong-un. “Não sabemos se elas [as informações] são necessariamente verdadeiras”, anunciou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários