Tamanho do texto

Alguns andares do estabelecimento foram incendiados; ato começou na noite do sábado, no horário local, e só terminou na manhã deste domingo

Hotel Intercontinental de Cabul, no Afeganistão, é atacado e Talibã assume atentado
Divulgação
Hotel Intercontinental de Cabul, no Afeganistão, é atacado e Talibã assume atentado

O governo do Afeganistão confirmou a morte de 18 pessoas, sendo 14 estrangeiras, no ataque ao luxuoso Hotel Intercontinental de Cabul, ocorrido nesse sábado (20). O local foi incendiado por um grupo armado que invadiu o estabelecimento, e o fogo só foi controlado 12 horas depois, na manhã deste domingo (21). A autoria do atentado foi reivindicada pelo grupo extremista Talibã.

Leia também: Senado veta orçamento e governo dos Estados Unidos entra em paralisação

O ministério do Interior do Afeganistão declarou que os invasores já foram mortos, sendo que entre eles, havia um estrangeiro, cuja nacionalidade é desconhecida. “O ataque terminou, todos os assaltantes foram abatidos, 126 pessoas foram resgatadas, incluindo 41 estrangeiros”, disse Najib Danish, porta-voz do ministério.

O ataque teve início por volta das 21 horas de sábado (14h30 no horário de Brasília) e terminou por volta das 9 horas de domingo (2h30 em Brasília). O hotel em Cabul fica no alto de uma colina na zona oeste da capital afegã e é mantido sob alto nível de vigilância por parte das forças de segurança.

O andar onde ficam localizados restaurante e piscina foram coberto pelas chamas, conforme afirmou um agente da Direção Nacional de Segurança. O porta-voz do Ministério do Interior também declarou que a cozinha, que fica no andar de baixo, também foi incendiada.

Um dos integrantes do grupo que participou do ataque se sacrificou na entrada do hotel para facilitar o acesso de seus companheiros ao estabelecimento. Outros três participantes do ato foram mortos pelas forças de segurança.

Em um comunicado, o porta-voz dos talibãs, Zabiullah Mujahid afirmou que o ataque “foi feito por cinco mujahideen dispostos ao martírio”.

Em 2011, o hotel havia sido alvo de um ataque similar por parte dos talibãs, deixando 21 mortos. O local recebe frequentemente festas privadas e eventos oficiais como coletivas de imprensa, seminários e conferências.

Leia também: Trump reclama de defesa a imigrantes ilegais após ter governo paralisado nos EUA

Alerta

Na última quinta-feira (18), a embaixada dos EUA em Cabul chegou a alertar os norte-americanos, afirmando “estar ciente de relatos de que grupos extremistas podem estar planejando um ataque contra hotéis em Cabul”.

Estrangeiros que vivem na cidade também haviam recebido alertas de segurança, informando que evitassem aglomerações públicas e outros locais, “onde se sabe que estrangeiros se reúnem”.

Leia também: Papa Francisco denuncia opressão a indígenas na Amazônia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.