Tamanho do texto

Empresa mostra despreparo menos de 1 mês após passar a oferecer viagens diretas de SP para NY; caos e desinformação marcam a espera dos clientes

Não demorou nem um mês para a companhia aérea Avianca demonstrar despreparo para operar voos diretos de Nova Iorque (EUA) para São Paulo. O serviço começou a ser prestado no dia 15 de dezembro, mas bastou um primeiro imprevisto para a empresa provar sua inaptidão e deixar seus passageiros ilhados e sem informações no aeroporto internacional John F. Kennedy.

Brasileiros que estavam com previsão de retornar ao País no fim de semana foram surpreendidos por atrasos que mais tarde vieram a se transformar em cancelamentos de seus voos. Um total de 174 clientes da Avianca  que compraram passagens para decolar no sábado (6) e no domingo (7) ainda permanece em solo nova-iorquino, numa espera que já dura cerca de 40 horas.

Uma nevasca que atinge a cidade americana foi inicialmente apontada como motivo para o transtorno, mas os passageiros se depararam com informações desencontradas por parte dos funcionários da empresa. Até mesmo versões sobre um suposto congelamento do combustível do avião chegaram aos ouvidos dos brasileiros no aeroporto JFK.

Em nota encaminhada ao iG , a empresa informou que parte dos passageiros foi realocada em voos que partiriam com destino ao Brasil às 18h30 e às 0h30, no horário local. Mas passageiros ouvidos pela reportagem por volta das 20h desta segunda-feira (8) garantiram que não houve nenhuma informação a esse respeito por parte dos funcionários da empresa.

Espera em ligação para central da Avianca
Arquivo pessoal
Espera em ligação para central da Avianca

Caos e enxoval perdido

Em meio a esse cenário, famílias se amontoam no gélido saguão do aeroporto e reclamam da falta de assistência da companhia aérea – que disponibilizou aos clientes um voucher no valor de US$ 15 para alimentação e diz ter disponibilizado vagas em hotéis. Ligações para a central de atendimento da empresa também se mostram pouco efetivas, uma vez que o tempo de espera desse serviço ultrapassa facilmente a marca de 40 minutos.

O casal paulistano Renata Vasques e Marcos Amado, ouvido pela reportagem da revista Veja , relatou que deveria ter retornado ao Brasil ainda no sábado, mas viram o sonho da lua-de-mel nos Estados Unidos se tornar um pesadelo devido à ineficiência da empresa.

Renata (que está grávida de seis meses) e Marcos haviam comprado o enxoval do bebê durante o passeio do voo, mas parte das compras foi extraviada durante o período de espera no aeroporto. "Dois dias antes do voo, houve uma nevasca muito forte e vimos pelo noticiário que muitos voos tinham sido cancelados. Não havia nenhuma informação no site da empresa. Depois de muita insistência, conseguimos falar com um representante da Avianca que disse que o voo tinha sido transferido para as 10h30 de domingo", disse Renata à Veja .

O iG também teve acesso a uma gravação feita por uma brasileira na qual um funcionário da Avianca diz que não consegue entrar em contato com os demais passageiros alocados em um hotel escolhido pela própria empresa.

 Oficialmente, a Avianca afirma que os atrasos decorreram da "forte nevasca que está acontecendo em Nova Iorque", embora voos de outras companhias tenham conseguido decolar durante as últimas 48 horas. A companhia também atribuiu os transtornos à "contingência relacionada à infraestrutura" do aeroporto e disse que "a aeronave programada para realizar o voo do dia 06 passou por um procedimento operacional corretivo em seus toaletes".

Confira abaixo a íntegra da nota da Avianca:

“A Avianca Brasil informa que os voos 8501 JFK-GRU, previstos para decolarem nos dias 06 e 07 de janeiro, sofreram atrasos em sua volta ao Brasil em função da forte nevasca que está acontecendo em Nova York, que impactou inúmeras outras operações locais, e também em decorrência do fechamento temporário do terminal 4 do aeroporto, nos dias 07 e 08, ocasionado por uma contingência relacionada à infraestrutura. Atrelado a isso, a aeronave programada para realizar o voo do dia 06 passou por um procedimento operacional corretivo em seus toaletes. 

A companhia ofereceu toda a assistência aos seus clientes, direcionando-os para um hotel e reacomodando-os em outros voos. Parte deles seguirá para o Brasil em dois voos da companhia, um extra (9500 JFK-GRU) previsto para hoje, às 18h30 (horário de NY), e outro (8501 JFK-GRU) previsto para às 00h30 (horário de NY). Os demais virão em voos de companhias parceiras previstos para decolarem nas próximas 48 horas. Todos os passageiros estão sendo comunicados via telefone, SMS e e-mail.

A Avianca Brasil lamenta o desconforto causado aos seus passageiros, destaca que situações adversas causadas por motivos meteorológicos são alheias à vontade da companhia e que eventuais manutenções corretivas são procedimentos, às vezes, necessários nas operações aéreas. A empresa salienta ainda que preza, acima de tudo, pela segurança de seus clientes e tripulantes.”


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.