Tamanho do texto

Durante celebração que durou mais de duas horas, líder da Igreja Católica não recriminou choros dos bebês e ainda estimulou mães a amamentarem

Ao invés de criticar choro de bebês, papa ainda brincou com os fiéis ao afirmar que os pequenos faziam um concerto
Instagram/franciscus/Reprodução
Ao invés de criticar choro de bebês, papa ainda brincou com os fiéis ao afirmar que os pequenos faziam um concerto

Muitas mulheres já sofreram com a recriminação de outras pessoas ao fato delas estarem amamentando seus filhos em público. Ainda hoje, há pessoas na sociedade que acreditam que as mães deveriam fazer isso apenas em locais reservados, mas, nem sempre, a hora que a criança "escolhe" ter fome coincide com um lugar reservado. Outro ponto é que a amamentação é a forma mais natural de se alimentar alguém. Neste domingo (7), o papa Francisco deu mais um demonstração de empatia com as mães que amamentam.

Leia também: Homem morre e mulher fica ferida após explosão em metrô de Estocolmo, na Suécia

Durante uma celebração na Capela Sistina que durou mais de duas horas, em que batizou 34 crianças,  sendo18 meninas e 16 meninos, o líder da Igreja Católica falou para as mães amamentarem suas crianças sem medo. “Se eles começarem a chorar, é porque estão com calor ou não estão confortáveis. Se tiverem fome, amamentem-os, sem medo, deem-lhes de comer, isso também é uma linguagem de amor”, concluiu papa Francisco.

De acordo com nota publicada no site do Vaticano, o líder religioso também não se importou com o choro de algumas das crianças durante a celebração. Sabendo que as missas podem ser muito cansativas para os pequenos, ele apenas brincou ao comparar o choro com um concerto que estaria sendo realizado pelas crianças. 

Leia também: Acidente entre navios na China causa incêndio e deixa 32 desaparecidos

"Não nos podemos esquecer desta língua das crianças, que falam como podem. É a língua de que Jesus gosta muito. E, nas vossas orações, sede simples como elas”, recomendou a todos que acompanhavam os batismos.

Leia também: Buscas pelo voo MH370 da Malaysia Airlines serão retomadas por empresa dos EUA

A cerimônia que acontece anualmente é restrita a funcionários do Vaticano ou da diocese de Roma, mas papa Francisco já declarou apoio às mães em outras celebrações também. Apesar de não haver leis que proíbam mães de amamentar suas crianças, muitas ainda sofrem com o preconceito das outras pessoas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.