Tamanho do texto

Obra escrita por jornalista traz informações reveladas por 200 pessoas próximas ao presidente que, se comprovadas, poderão comprometer o republicano; segundo Wolff, Trump é internamente chamado de "idiota"

Editora planejava lançar o livro no dia 9, mas aproveitou o clima de polêmica e antecipou o lançamento para esta sexta (5)
Reprodução/CNN
Editora planejava lançar o livro no dia 9, mas aproveitou o clima de polêmica e antecipou o lançamento para esta sexta (5)

A primeira semana de 2018 tem sido conturbada para o presidente norte-americano Donald Trump. Além das farpas trocadas com líder norte-coreano Kim Jong-un ( em represália às ameaças 'veladas' do ditador, Trump disse que seu “botão nuclear” é maior que o de Kim ), o mandatário republicano, agora, tem de lidar agora com o bombástico lançamento do livro “ Fire and Fury: inside the Trump White House ”, que chegou nesta sexta-feira (5) às livrarias dos Estados Unidos e já é um dos mais vendidos do país. 

O livro, cujo título, em tradução livre, é algo como “O fogo e a fúria: por dentro da administração Trump”,  traz informações que podem ser comprometedoras para o presidente Donald Trump caso sejam confirmadas.  

Escrito pelo jornalista Michael Wolff, que entrevistou cerca de 200 pessoas próximas do presidente ou envolvidas em sua campanha à Casa Branca, o livro aborda, entre outros temas, a suposta aproximação do então candidato republicano de autoridades russas visando sabotar a candidatura da democrata Hillary Clinton.

Em entrevista à TV americana hoje, o jornalista afirmou que, entre todos os entrevistados, existe uma afirmação em comum: Trump é um "bobo", "um idiota", que age apenas em torno de sua vontade e pensa "como uma criança". 

Rapidamente esgotado nas primeiras horas após o lançamento, o livro narra também a incredulidade de Trump frente a sua vitória na corrida presidencial. Segundo Wolff, ele não esperava ser eleito – pelo contrário, a derrota nas eleições seria bem-vinda para seus negócios e ele assumiria o papel de “mártir” republicano. Ainda de acordo com o jornalista, Melania Trump, esposa do presidente, chorou de insatisfação quando foi informada da vitória do marido.

Leia também: Líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un diz ter 'botão nuclear' na sua mesa

Tentativa de sabotamento

O próprio lançamento do livro se deu envolto em polêmicas. Os advogados do presidente ameaçaram acionar Wolff e sua editora na justiça para evitar com que o livro chegasse ao público. Ainda, as informações previamente divulgadas levaram Trump a romper com Steve Bannon, ex-estrategista-chefe da Casa Branca e uma das fontes do livro de Wolff.

A editora, que planejava lançar o livro no dia 9, resolveu aproveitar-se do clima de polêmicas e antecipou o lançamento para esta sexta (5), alegando “demanda sem precedentes” nas livrarias. Wolff, o autor, ironizou o presidente em suas redes sociais: “Lá vamos nós. Podem comprar e ler amanhã. Obrigado, senhor presidente”, escreveu. Donald Trump , por sua vez, disse que o livro está “cheio de mentiras”.

*Com informações da Ansa

Leia também: EUA permite retomada de ações contra legalização da maconha

    Leia tudo sobre: donald trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.