undefined
Reprodução/CNN
Soldados da Coreia do Norte violaram trégua com país sul coreano durante perseguição a um desertor de 24 anos




O Comando das Nações unidas divulgou, nesta quarta-feira (22),  imagens de um soldado da Coreia do Norte sendo perseguido ao cruzar a fronteira com a Coreia do Sul. De acordo com informações da CNN , oficiais norte-coreanos ultrapassaram os limites com o país vizinho durante a perseguição, o que configura uma violação do armistício da Guerra da Coreia, que já assegurou um período 64 anos de cessar-fogo.

Leia também: Mugabe renuncia à presidência do Zimbábue após 37 anos no poder

No vídeo, o soldado norte coreano de 24 anos, identificado pelo sobrenome Oh, é visto ultrapassando a fronteira na chamada Zona Desmilitarizada da Coreia (DMZ), que divide os países. Durante a tentativa, que aconteceu dia 13 de novembro, oficiais da Coreia do Norte perseguiram e alvejaram o desertor para além dos limites da DMZ, o que, segundo a ONU, violou os acordos do tratado. Assista às imagens:


Segundo o coronel Chad Caroll, porta-voz do Comando das Nações Unidas, duas ações do incidente quebraram o acordo entre os países. A primeira violação aconteceu quando os soldados norte-coreanos atiraram na DMZ, e a segunda, no momento em que um soldado ultrapassou a Linha de Demarcação Militar.

Caroll ainda explicou à CNN que o Comando notificou o país liderado por Kim Jong-un da violação do armistício por meio de canais regulares de comunicação, além de também ter solicitado uma reunião para discutir tanto os resultados da investigação sobre o incidente, quanto medidas para prevenir infrações futuras.

“O acordo do armistício foi desafiado, porém, ele continua em vigor”, explicou o general Vincent K. Brooks, o americano que encabeça o Comando da ONU .

Leia também: Atentado em mesquita deixa ao menos 50 mortos na Nigéria nesta terça-feira

Estado de saúde do soldado desertor

De acordo com informações da CNN , o soldado desertor foi levado para um hospital da Coreia do Sul, onde já recobrou sua consciência e está passando por tratamentos.

Mais de 40 balas de uma pistola AK-47 foram atiradas contra o homem, e por causa dos ferimentos causados pelos tiros, o homem precisou passar por múltiplas cirurgias e perdeu mais de 50% do sangue do seu corpo.

Em uma coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira, o cirurgião responsável pelo caso, Lee Cook-jong, do Ajou University Hospital, declarou que é difícil precisar quantas das 40 tentativas realmente atingiram o soldado . Quatro grandes ferimentos foram encontrados, porém, existe a possibilidade de Oh ter sido atingido mais de uma vez no mesmo lugar.

Por mais que ele esteja em uma "boa condição", estabilizado e sem a necessidade de respirar coma  ajuda de aparelhos, a perseguição deixou sequelas no norte-corano. Seus intestinos e funções motoras, por exemplo, sofreram danos permanentes.

Além disso,  os médicos também chegaram a considerar uma possível amputação de seu braço esquerdo, por causa de lesões causados a certos nervos. Dezenas de parasitas também foram encontrados no corpo de Oh, o que foi atribuído à nutrição deficiente e às condições de saúde no exército do país. 

Lee ainda disse que tem conversado bastante com seu paciente, principalmente sobre música. Agora, ele se recupera enquanto escuta a banda  Girls Generation , de K-Pop (música pop da Coreia do Sul ) e assiste a vários programas de televisão, tanto coreanos quanto americanos. Um de seus favoritos seria o seriado  CSI .

Leia também: Marinha argentina nega ter sinal de submarino; oxigênio só deve durar até hoje

"Apenas em filmes um paciente recobra a consciência logo após a cirurgia e começa a andar. Não é nada como acontece na realidade", Lee explicou para ilustrar que o soldado da Coreia do Norte ainda precisa de algum tempo de recuperação.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários