Tamanho do texto

Essa foi a primeira vez que o magnata discursou na Assembleia Geral das Nações Unidas; em sua fala, ele chamou Kim Jong-un de "homem foguete"

Em seu discurso de estreia da Assembleia Geral da ONU, Donald Trump, ameaçou 'destruir a Coreia do Norte'
Reprodução/Twitter
Em seu discurso de estreia da Assembleia Geral da ONU, Donald Trump, ameaçou 'destruir a Coreia do Norte'

Donald Trump  não fez diferente do esperado. Em sua estreia em Assembleias Gerais das Nações Unidas, nesta terça-feira (19), na 72ª edição do encontro, o presidente norte-americano fez um discurso polêmico. Ele prometeu reforçar a segurança e as Forças Armadas do país e fez uma nova ameaça à Coreia do Norte .

Leia também: Em Assembleia da ONU, Temer diz que "novo Brasil" está surgindo das reformas

"Nenhuma nação do mundo tem o interesse de ver esse bando com armas nucleares e mísseis", disse Donald Trump . "Não teremos escolha senão destruir totalmente a Coreia do Norte", ressaltou o republicano, caso o regime de Pyongyang continue com seu plano nuclear e militar, o qual chamou de "missão suicida de um homem foguete".

Segundo a agência de notícias Reuters , apenas um diplomata da delegação norte-coreana ficou dentro da sala enquanto Trump fazia seu discurso. Além disso, Song Nam, embaixador da Coreia do Norte na ONU , foi visto saindo do local antes da fala do líder norte-americano.

Socialismo e comunismo

Em sua fala, Trump também criticou nações que, segundo ele, implementaram o socialismo e o comunismo. "Onde o socialismo ou o comunismo foi adotado só causou devastação, desgraça e falha total", afirmou ele. 

"A Venezuela não falhou porque o socialismo foi mal implementado, mas porque ele foi fielmente implementado", continou o presidente norte-americano. 

Leia também: Trump exige democracia na Venezuela em reunião com Temer e outros líderes

O posicionamento de Trump a respeito da Venezuela ficou claro, nesta segunda-feira (18), quando o norte-americano exigiu, em uma reunião com líderes norte-americanos, a restauração "plena" da democracia e das liberdades políticas no país.

Trump disse que a situação atual na Venezuela é insustentável, "completamente inaceitável", e lembrou as sanções que os EUA impuseram durante o seu mandato contra o governo do presidente Nicolás Maduro.

Refugiados e patriotismo

Em seu primeiro discurso na ONU, Trump aproveitou para deixar clara a sua vontade de levar em conta as necessidade dos Estados Unidos acima de qualquer decisão tomada pela organização. 

O magnata enfatizou ainda, em sua fala, os tempos "perigosos" e as novas ameaças que o mundo vive, ao afirmar que os terroristas e extremistas chegaram a todos os cantos do planeta. Nesse momento, enfatizou considera os refugiados uma ameaça tanto para os países de onde vieram como para os países aonde foram recebidos.

Leia também: Na ONU, Temer evitará falar em crise e destacará números da economia

Donald Trump disse que o foco das Nações Unidas não deve ser o abrigo aos refugiados, mas a solução dos problemas que os fizeram deixar os seus países. 

    Leia tudo sobre: donald trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.