Tamanho do texto

Mãe de dois filhotes, ursa-parda de 14 anos foi executada a tiros após caçada que durou quase um mês em região onde espécie já foi extinta por caçadores

Ursa-parda de 14 anos conhecida como KJ2 foi morta após caçada de quase um mês na Itália
Pixabay/Creative Commons
Ursa-parda de 14 anos conhecida como KJ2 foi morta após caçada de quase um mês na Itália

A morte de um urso-pardo está provocando polêmica entre ambientalistas e o governador de uma província no norte da Itália, que defendeu a execução do animal, considerado uma ameaça aos humanos.

Leia também: Hipopótamo morre após ataque cruel em zoológico e choca El Salvador

A execução de uma ursa de 14 anos identificada pelas iniciais KJ2, foi promovida a tiros por guardas florestais dos alpes da província de Trento no último sábado (12). A região abriga cerca de 50 ursos-pardos , espécie rara que chegou a ser extinta por caçadores daquela área, mas aos poucos foi reintroduzida por meio de um projeto iniciado em 1999. 

De acordo com informações da rede britânica BBC e da italiana Ansa , o animal se tornou alvo de uma caçada no dia 22 do mês passado, quando a KJ2 feriu gravemente um homem idoso que passeava com seu cachorro pela floresta. 

Desde então, o governador de Trento, Ugo Rossi, passou a defender o abate do animal e a dizer que é preciso limitar ainda mais a área em que os ursos podem habitar. Rossi alegou que a execução da KJ2 foi "absolutamente necessária" devido ao risco que o animal oferecia a moradores e a turistas.

"Em qualquer lugar do mundo, quando a ameaça atinge certo nível, o animal deve ser morto para garantir a segurança das pessoas. E se ela tivesse encontrado uma criança e a ferisse gravemente?", argumentou o governador.

A atitude irritou grupos de defesa dos animais e de organizações não-governamentais de conservação do meio-ambiente. Os ativistas têm protestado contra a execução 'a sangue frio' da ursa e cobrando uma melhor administração dos serviços governamentais que deliberam sobre a reinscerção de ursos na natureza. 

Leia também: Golfinho é encontrado no litoral de SP após morrer preso a pedaço de chinelo

"Episódios desagradáveis"

A rede WWF, uma das mais importantes organizações de conservação do meio-ambiente do mundo, alegou que os ursos "não devem pagar o preço pelos erros de seres humanos". O grupo cobrou que as autoridades trabalhem para eliminar as causas desse tipo de "episódio desagradável".

A execução da ursa KJ2 ocorreu próximo ao Lago de Lamar, área que serve de lar para vários ursos, principalmente de fêmeas que cuidam de seus filhotes. Acredita-se que a própria KJ2 tinha dois filhotes.

Em 2014, também na província de Trento, a morte de uma ursa batizada de Daniza, provocou muita polêmica na Itália. A ursa-parda foi abatida um mês após atacar uma pessoa para proteger seus filhotes.

Leia também: Impressionante! Crocodilo gigantesco arrasta vaca decapitada em rio na Austrália